Busca avançada
Ano de início
Entree

Mecanismos de inflamação pulmonar na asma: estudos clínicos e experimentais

Processo: 02/08422-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de outubro de 2003 - 30 de novembro de 2008
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Milton de Arruda Martins
Beneficiário:Milton de Arruda Martins
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesquisadores principais:Geraldo Lorenzi Filho ; Marisa Dolhnikoff
Bolsa(s) vinculada(s):07/51472-9 - Efeito do treinamento aeróbio no controle clínico e na inflamação pulmonar de adultos com asma persistente moderada ou grave, BP.DR
06/58259-6 - Efeito do condicionamento físico aeróbio de moderada intensidade na inflamação pulmonar alérgica crônica e na hiperresponsabilidade brônquica a metacolina em cobaias sensibilizadas, BP.MS
06/53309-5 - Efeitos do condicionamento físico aeróbio na inflamação pulmonar alérgica crônica, BP.IC
+ mais bolsas vinculadas 06/54956-4 - Efeitos da ventilação nasal na responsividade brônquica medida por pletismografia de corpo inteiro, BP.IC
05/57505-0 - Diferentes métodos para avaliação da mecânica respiratória em um modelo murino de enfisema pulmonar, BP.MS
05/50022-4 - Estudo comparativo entre modelos experimentais de inflamação pulmonar induzida por poluição atmosférica ou por sensibilização alérgica em camundongos: papel do óxido nítrico na modulação do.., BP.PD
03/10080-0 - Oscilação mecânica in vitro de tecido pulmonar periférico nas fases imediata e tardia da resposta inflamatória de cobaias sensibilizadas com ovoalbumina, BP.MS - menos bolsas vinculadas
Assunto(s):Doenças respiratórias  Asma  Fisiopatologia 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/publicacoes/pasta_med_39.pdf

Resumo

Asma é a doença (ou síndrome) crônica mais comum na infância e tem, também, elevada prevalência em todas as idades. A prevalência da asma está aumentando no mundo, o que está fazendo da asma cada vez mais um importante problema de saúde pública. O Brasil está entre os países de elevada prevalência da asma e trata-se de doença de elevado impacto econômico e importante interferência na qualidade de vida, apesar de ter baixa letalidade. Já está bem estabelecido que a asma corresponde a um tipo especial de inflamação crônica das vias aéreas, apesar da etiologia precisa deste processo não estar determinada e de vários aspectos dessa inflamação, incluindo o papel preciso de cada tipo celular, sua avaliação e tratamento merecerem, ainda, muitos estudos. O entendimento da asma como uma doença inflamatória tem resultado no estímulo a diversos estudos experimentais e clínicos visando entender melhor a fisiopatologia da inflamação de vias aéreas, a relação entre inflamação pulmonar e hiperresponsividade brônquica, a melhor forma de avaliação da intensidade da inflamação e seu tratamento e o estabelecimento de programas efetivos de tratamento a longo prazo de pessoas com asma. O presente projeto temático visa dar suporte a um grupo de pesquisa existente na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e que vem estudando asma através de uma abordagem multidisciplinar, aliando estudos experimentais a estudos clínicos. O foco central do projeto será o processo inflamatório pulmonar na asma, e serão realizados estudos com modelos experimentais, estudos em pulmões e em cultura de células obtidas desses pulmões de pacientes que morreram de asma, e estudos clínicos, com crianças e adultos com asma. Nos três anos previstos para o desenvolvimento desse projeto, serão abordados os seguintes temas: 1. efeitos do óxido nítrico e das fibras nervosas sensíveis à capsaicina na modulação da inflamação crônica de vias aéreas em modelo experimental de asma em cobaias; 2. efeito da lesão de fibras nervosas sensíveis à capsaicina sobre a responsividade das vias aéreas na inflamação crônica de vias aéreas em várias linhagens de camundongos com diferentes intensidades de resposta inflamatória; 3. ação do BCG na resposta imunológica à ovoalbumina em camundongos geneticamente selecionados (para alta e baixa resposta inflamatória AIRmax e AIRmin); 4. atividade imunomoduladora dos agonistas de receptores beta2 de curta e de longa ação em modelo de inflamação crônica de vias aéreas em camundongos; 5. efeito de broncodilatadores e mediadores inflamatórios na freqüência de batimento ciliar e na velocidade de transporte muco-ciliar em camundongos com inflamação pulmonar alérgica; 6. modulação da resposta inflamatória crônica pulmonar por corticosteróides e leucotrienos, em especial na apoptose de linfócitos e de eosinófilos, em modelo experimental em cobaias; 7. efeito de mediadores inflamatórios na resposta broncoconstritora induzida pela hiperventilação em cobaias; 8. expressão e atividade da óxido nítrico-sintase em modelos experimentais de asma e doença pulmonar obstrutiva crônica em ratos e em pacientes com asma e bronquite crônica; 9. caracterização do processo inflamatório de vias aéreas, incluindo vias aéreas superiores em pulmões de pessoas que morreram devido à asma e sua correlação com a história clínica; 10. estudo da apoptose em cultura de células musculares lisas obtidas de pulmões de pessoas que morreram devido à asma e a doença pulmonar obstrutiva crônica; 11. determinação do papel do exame citológico do lavado nasal no acompanhamento do processo inflamatório da asma em adultos com asma; 12. estudo do papel da medida do óxido nítrico no ar exalado na caracterização dos pacientes que, sem antecedentes de asma, apresentaram broncoespasmo no período intra-operatório; 13. estudo da melhor forma de avaliar a intensidade da asma em crianças durante a tentativa de redução da dose de corticóide inalatório; 14. efeito do treinamento físico aeróbico na inflamação pulmonar, na capacidade funcional e na qualidade de vida em crianças e adultos com asma persistente moderada e grave. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Mais fôlego e autoestima  

Publicações científicas (5)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MENDES, FELIPE A. R.; LUNARDI, ADRIANA C.; SILVA, RONALDO A.; CUKIER, ALBERTO; STELMACH, RAFAEL; MARTINS, MILTON A.; CARVALHO, CELSO R. F. Association between Maximal Aerobic Capacity and Psychosocial Factors in Adults With Moderate-to-Severe Asthma. JOURNAL OF ASTHMA, v. 50, n. 6, p. 595-599, AUG 2013. Citações Web of Science: 6.
RODRIGUES MENDES, FELIPE AUGUSTO; ALMEIDA, FRANCINE MARIA; CUKIER, ALBERTO; STELMACH, RAFAEL; JACOB-FILHO, WILSON; MARTINS, MILTON A.; FERNANDES CARVALHO, CELSO RICARDO. Effects of Aerobic Training on Airway Inflammation in Asthmatic Patients. MEDICINE AND SCIENCE IN SPORTS AND EXERCISE, v. 43, n. 2, p. 197-203, FEB 2011. Citações Web of Science: 91.
MENDES, FELIPE A. R.; GONCALVES, RAQUEL C.; NUNES, MARIA P. T.; SARAIVA-ROMANHOLO, BEATRIZ M.; CUKIER, ALBERTO; STELMACH, RAFAEL; JACOB-FILHO, WILSON; MARTINS, MILTON A.; CARVALHO, CELSO R. F. Effects of Aerobic Training on Psychosocial Morbidity and Symptoms in Patients With Asthma A Randomized Clinical Trial. CHEST, v. 138, n. 2, p. 331-337, AUG 2010. Citações Web of Science: 93.
VIEIRA, RODOLFO P.; DE ANDRADE, VANESSA F.; DUARTE, ANNA CECILIA S.; DOS SANTOS, ANGELA B. G.; MAUAD, THAIS; MARTINS, MILTON A.; DOLHNIKOFF, MARISA; CARVALHO, CELSO R. F. Aerobic conditioning and allergic pulmonary inflammation in mice. II. Effects on lung vascular and parenchymal inflammation and remodeling. AMERICAN JOURNAL OF PHYSIOLOGY-LUNG CELLULAR AND MOLECULAR PHYSIOLOGY, v. 295, n. 4, p. L670-L679, OCT 2008. Citações Web of Science: 54.
FANELLI, ADRIANA; CABRAL, ANNA LUCIA BARROS; NEDER, JOSE ALBERTO; MARTINS, MILTON ARRUDA; CARVALHO, CELSO RICARDO FERNANDES. Exercise training on disease control and quality of life in asthmatic children. MEDICINE AND SCIENCE IN SPORTS AND EXERCISE, v. 39, n. 9, p. 1474-1480, Sept. 2007.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.