Busca avançada
Ano de início
Entree

Trypanosoma cruzi: interação parasita-célula hospedeira

Processo: 99/12459-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de junho de 2000 - 30 de setembro de 2004
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Maria Julia Manso Alves
Beneficiário:Maria Julia Manso Alves
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesquisadores principais:Walter Colli
Auxílios(s) vinculado(s):04/03272-2 - Claudio Alejandro Pereira | Universidad de Buenos Aires - Argentina, AV.EXT
Bolsa(s) vinculada(s):03/10767-5 - Expressão do transportador de glicose ao longo do ciclo intracelular do Trypanosoma Cruzi, BP.IC
01/06936-0 - Interação Tryponosoma cruzi-célula hospedeira: caracterização de ligantes e receptores e estudo de sinalização intracelular, BP.DD
01/02829-5 - Estudo da interação do domínio amino terminal da proteína Tc85-11 de Trypanosoma cruzi com receptores presentes em células de cultura de tecido, BP.DR
+ mais bolsas vinculadas 01/02828-9 - Estudo comparativo da expressão de proteínas e aspectos metabólicos entre as diferentes formas de Trypanosoma cruzi e no processo de diferenciação, BP.DR
01/00978-3 - Estudo de genes da família de glicoproteínas de superfície (Tc-85) de Trypanosoma cruzi, BP.DR
00/11060-4 - Estudo das interações entre o Trypanosoma cruzi e a célula do hospedeiro vertebrado, BP.PD
00/08121-1 - Estudio comparado del transporte de glucosa y prolina en las distintas etapas de la diferenciación del Trypanosoma cruzi, BP.PD - menos bolsas vinculadas
Assunto(s):Receptores celulares  Proteínas  Laminina  Trypanosoma cruzi  Doença de Chagas  Phage display 

Resumo

O Trypanosoma cruzi, agente causador da Doença de Chagas, é parasita intracelular obrigatório e se apresenta em três estágios de desenvolvimento: a forma infectante, tripomastigota e as formas reprodutivas, epimastigota e amasfigota. Para entrar nas células os parasitas precisam atravessar a barreira endotelial do sistema circulatório do hospedeiro vertebrado e, para atingir a célula hospedeira, os tripomasfigotas devem interagir com pelo menos duas estruturas, a membrana basal e a membrana plasmática, além de outros elementos da matriz extracelular. Por parte da célula hospedeira, sugeriram-se várias espécies químicas para intermediar esse processo, como fibronectina, ácido siálica, colágeno, heparan sulfato, integrinas e laminina. Nosso laboratório, pela primeira vez na literatura, demonstrou que um pequeno grupo de moléculas da família das glicoproteínas Tc-85 liga-se a um componente majoritário da membrana basal, a laminina. Por parte do parasita, várias proteínas ou glicoproteínas de superfície também foram relacionadas com os processos de adesão e penetração, especialmente aquelas de massa molecular entre 85-90 kDa, incluindo uma proteína de 85 kDa, que se liga a fibronectina e colágeno, possivelmente relacionada com a Te-85, ou uma proteína de 65 kDa que se liga a heparan sulfato. Recentemente nosso laboratório clonou e expressou a proteína de fusão de um componente da família da Tc-85 que se liga a laminina (TcSS-1 1), assim como polipeptídeos que correspondem a diferentes regiões da molécula. Estudos preliminares sugeriram que, além da laminina, há outros sítios de adesão à célula hospedeira na molécula, indicando que se trata de uma molécula com vários sítios responsáveis pela adesão, fenômeno comum entre moléculas com esse tipo de função. A determinação da região de ligação na molécula do parasita e a identificação do respectivo receptor na célula hospedeira é fundamental para a compreensão do mecanismo de adesão do parasita. Pelos dados disponíveis na literatura, a hipótese mais provável é que outros membros desse grupo de moléculas ou outras moléculas não relacionadas também sejam responsáveis pelo mesmo fenômeno, tomando necessário, para compreendê-lo, o isolamento de outros membros e sua caracterização. Com esse objetivo, decidimos abordar o problema utilizando diferentes estratégias: Mapear na Tc85-11 os aminoácidos envolvidos na ligação com taminina e com outras moléculas a ser identificadas... (AU)

Publicações científicas (6)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MARROQUIN-QUELOPANA, MIRYAM; OYAMA JÚNIOR, SERGIO; PERTINHEZ, THELMA AGUIAR; SPISNI, ALBERTO; JULIANO, MARIA APARECIDA; JULIANO, LUIZ; COLLI, WALTER; ALVES, MARIA JÚLIA M. Modeling the Trypanosoma cruzi Tc85-11 protein and mapping the laminin-binding site. Biochemical and Biophysical Research Communications, v. 325, n. 2, p. 612-618, Dec. 2004.
L.C. MILETTI; M. ALMEIDA-DE-FARIA; W. COLLI; M.J.M. ALVES. Immunocytochemical and biochemical detection of alpha-L-fucosidase in Trypanosoma cruzi. Brazilian Journal of Medical and Biological Research, v. 36, n. 5, p. 595-603, Maio 2003.
SILBER, ARIEL M.; TONELLI, RENATA R.; MARTINELLI, MARCELA; COLLI, WALTER; ALVES, MARIA JÚLIA M. Active transport of L-proline in Trypanosoma cruzi. Journal of Eukaryotic Microbiology, v. 49, n. 6, p. 441-446, Nov. 2002.
ULRICH, HENNING; MAGDESIAN, MARGARET H.; ALVES, MARIA JÚLIA M.; COLLI, WALTER. In vitro selection of RNA aptamers that bind to cell adhesion receptors of Trypanosoma cruzi and inhibit cell invasion. Journal of Biological Chemistry, v. 277, n. 23, p. 20756-20762, June 2002.
H. ULRICH; M.J.M. ALVES; W. COLLI. RNA and DNA aptamers as potential tools to prevent cell adhesion in disease. Brazilian Journal of Medical and Biological Research, v. 34, n. 3, p. 295-300, Mar. 2001.
OLIVEIRA‚ M.F.; BIJOVSKY‚ A.T.; CARVALHO‚ T.U.; SOUZA‚ W.; ALVES‚ M.M.; COLLI‚ W. A monoclonal antibody to Trypanosoma cruzi trypomastigotes recognizes a myosin tail epitope. Parasitology Research, v. 87, n. 12, p. 1043-1049, 2001.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.