Busca avançada
Ano de início
Entree

Pesquisa e ensino em teoria de cordas

Processo: 99/12763-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de junho de 2000 - 31 de julho de 2004
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física das Partículas Elementares e Campos
Pesquisador responsável:Nathan Jacob Berkovits
Beneficiário:Nathan Jacob Berkovits
Instituição-sede: Instituto de Física Teórica (IFT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):04/06639-4 - Amplitudes de espalhamento da supercorda, BP.DR
04/03158-5 - Estudos em supersimetria e supercordas, BP.MS
03/02080-0 - Férmions em teorias de campos de supercordas, BP.PD
+ mais bolsas vinculadas 02/10617-0 - Estudo das formulações da supercorda, BP.MS
02/06275-7 - Estudos de tópicos em matemática para físicos, BP.IC
01/05770-1 - Quantização covariante da supercorda em fundos adsd x sd-d com fluxos Ramond-Ramond, BP.PD
00/13845-9 - Pesquisa sobre a descrição covariante da supercorda, BP.DR
00/10245-0 - Low-energy equations of the superstring, BP.PD - menos bolsas vinculadas
Assunto(s):Teoria das cordas  Espalhamento  Supersimetria  Supergravidade 

Resumo

A obtenção de uma descrição unificada de todas as forças fundamentais na natureza é um sonho antigo dos físicos teóricos. Presentemente, a teoria de supercordas é o único modelo quanto-mecânico consistente para se descrever partículas com interações gravitacionais Yang-Mills. Todas as outras tentativas de se unificar essas forças sofrem de divergências quanto-mecânicas nas amplitudes de espalhamento que não podem ser removidas através de renormalização. Mesmo que a teoria de supercordas não seja a teoria de unificação final, provavelmente contém alguns dos ingredientes essenciais de tal teoria. A teoria de supercordas existe desde 1972 mas, até recentemente, o único método disponível para estudar supercordas usou técnicas perturbativas. Estas técnicas foram úteis para estudar as amplitudes de espalhamento dos grávitons, mas foram inúteis para estudar efeitos gravitacionais não-perturbativos como buracos negros. Mas em 1994, foi descoberta uma simetria na teoria de supercordas que relaciona a teoria com acoplamento forte e acoplamento fraco. Esta simetria foi chamado dualidade-S, e é semelhante a simetria de dualidade Montonen-Olive que relaciona a teoria de super-Yang-Mills com acoplamento forte e fraco. Um ingrediente das supercordas que é crucial para a ausência de divergências e a existência de dualidade-S é a supersimetria de espaço-tempo. Entretanto, no formalismo usual de supercordas de Ramond-Neveu-Schwarz (RNS), os efeitos de supersimetria de espaço-tempo são extremamente difíceis de se analisar. Embora exista o formalismo alternativo de Green-Schwarz (GS) para a supercorda onde a supersimetria de espaço-tempo é manifesta, o formalismo Green-Schwarz pode ser quantizado somente no gauge do cone-de-luz, o que reduz tremendamente a sua utilidade. Durante os últimos dez anos minha pesquisa tem se centrado no entendimento do papel da supersimetria de espaço-tempo na supercorda. Esta pesquisa me levou a descobrir um novo formalismo de supercordas onde a supersimetria de espaço-tempo é manifesta e que pode ser quantizado em gauges covariantes... (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Avanços na teoria das supercordas 

Publicações científicas (7)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BERKOVITS‚ N. Covariant multiloop superstring amplitudes. COMPTES RENDUS PHYSIQUE, v. 6, n. 2, p. 185-197, 2005.
BERKOVITS‚ N. Alternative string theory in twistor space for N= 4 super-Yang-Mills theory. Physical Review Letters, v. 93, n. 1, p. 11601, 2004.
NATHAN BERKOVITS. Theoretical motivation for studying superstrings. Brazilian Journal of Physics, v. 34, n. 4a, p. 1327-1329, Dez. 2004.
BERKOVITS‚ N.; CARLINI VALLILO‚ B. One-loop< i> N-point superstring amplitudes with manifest< i> d= 4 supersymmetry. Nuclear Physics B, v. 624, n. 1, p. 45-62, 2002.
BERKOVITS‚ N.; HOWE‚ P. Ten-dimensional supergravity constraints from the pure spinor formalism for the superstring. Nuclear Physics B, v. 635, n. 1, p. 75-105, 2002.
BERKOVITS‚ N.; CHANDÍA‚ O. Lorentz invariance of the pure spinor BRST cohomology for the superstring. Physics Letters B, v. 514, n. 3, p. 394-400, 2001.
BERKOVITS‚ N.; GUKOV‚ S.; VALLILO‚ B.C. Superstrings in 2D backgrounds with R-R flux and new extremal black holes. Nuclear Physics B, v. 614, n. 1, p. 195-232, 2001.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.