Busca avançada
Ano de início
Entree

Manejo local e conservação de recursos naturais na Mata Atlântica (Vale do Ribeira, São Paulo)

Processo: 01/07618-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de janeiro de 2002 - 31 de dezembro de 2003
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Alpina Begossi
Beneficiário:Alpina Begossi
Instituição-sede: Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais (NEPAM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Ecologia humana  Uso do solo  Áreas de conservação  Recursos naturais  Manejo ambiental  Sensoriamento remoto  Mudança climática 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Contribuições...climáticas_39_63_63.pdf

Resumo

A análise integrada dos dados sobre os aspectos ecológicos do recurso e as características dos usuários é fundamental para avaliar a sustentabilidade de um ecossistema. Nesse sentido, usuários são potenciais parceiros em um sistema de manejo, onde o seu sucesso depende da compatibilidade das formas de uso, da estrutura social interna do grupo usuário e dos canais de integração entre as instituições locais e externas. O objetivo deste projeto é estudar as formas de manejo local em comunidades de duas unidades de conservação com distintos níveis de acesso ecológico e institucional para os recursos naturais: Parque Estadual do Alto Ribeira (Petar), localizado na região montanhosa e legalmente restrito a uso indireto por meio de pesquisas científicas e turismo, e área de proteção ambiental Ilha Comprida, localizada na região costeira e legalmente disponível para o uso direto de recursos sob algumas restrições, ambos no Estado de São Paulo. O estudo está sendo realizado junto ao Núcleo de Pesquisas Ambientais (Nepam-Unicamp), em colaboração com o projeto temático Floresta e mar: usos e conflitos no Vale do Ribeira e litoral sul (SP), e terá duração de dois anos. No primeiro ano, será realizada uma análise contextual regional de cada área de estudo, de acordo com os padrões ecológicos (topografia, cobertura vegetal, tipos de recursos disponíveis) e dos aspectos sociais (atores, política de conservação, infraestrutura, turismo). No segundo ano, será realizada uma contextualização local de cada área de estudo, enfocando na percepção local do uso de recursos, economia familiar e organização social. A metodologia adotada será entrevistas, mapeamento participativo e classificação de imagens de satélite. Comparações entre comunidades de uma mesma área de estudo e entre comunidades de diferentes áreas de estudo serão traçadas em relação ao potencial e limitação do manejo local de recursos naturais. A análise dos dados enfocará tanto aspectos práticos da questão ambiental relacionados com gestão participativa como aspectos teóricos sobre a relação entre formas de apropriação e grau de conservação dos recursos naturais. (AU)