Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de um dispositivo químico de liberação controlada de princípios bioativos para tratamento microbiológico do ar interior em ambientes climatizados

Processo: 00/12776-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de abril de 2002 - 31 de maio de 2005
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Tecnologia Química
Pesquisador responsável:Carlos Alberto Alves de Carvalho
Beneficiário:Carlos Alberto Alves de Carvalho
Empresa:STQ Comércio e Serviços de Tecnologia Química Ltda
Município: São Paulo
Bolsa(s) vinculada(s):02/03243-7 - Desenvolvimento de um dispositivo químico de liberação controlada de princípios bioativos para tratamento microbiológico do ar interior em ambientes climatizados, BP.TT
02/03244-3 - Desenvolvimento de um dispositivo químico de liberação controlada de princípios bioativos para tratamento microbiológico do ar interior em ambientes climatizados, BP.TT
02/00375-0 - Desenvolvimento de um dispositivo químico de liberação controlada de princípios bioativos para tratamento microbiológico do ar interior em ambientes climatizados, BP.PIPE
Assunto(s):Qualidade do ar  Ciclodextrinas  Cerâmicas 

Resumo

O foco principal deste projeto está na produção de um dispositivo químico para tratar a água condensada nos sistemas de ar condicionado, objetivando-se a esterilização química e biológica do ar realimentado para o ambiente interno. O dispositivo de liberação controlada é formado pela interação entre um encapsulante, ciclodextrina, obtido de fonte renovável por um processo biotecnológico e hóspedes com atividade antifúngica e/ou antibacteriana, formando um composto de inclusão, que será incorporado em matriz cerâmica. Esse é um produto inovador, já que se diferencia dos demais existentes no mercado pelo uso da tecnologia de liberação controlada, cujo mecanismo químico inteligente de liberação do princípio ativo inibe a multiplicação dos microorganismos na água de condensação e possibilita a manutenção do ar dentro dos padrões exigidos pela legislação. O composto de inclusão será preparado, na fase laboratorial, usando-se os métodos de co-precipitação e liofilização. Misturam-se soluções aquosas de ciclodextrina com o princípio ativo em proporções estequiométricas predeterminadas, com agitação constante e, quando necessário, utiliza-se aquecimento, obtendo-se dessa forma o composto supramolecular. O composto de inclusão será suportado em matriz de base cerâmica. A matriz pode ser preparada a partir de pós cerâmicos obtidos por processos químicos não convencionais como co-precipitação e hidrotérmico, com microestrutura controlada. Mantém-se a matriz cerâmica, após tratamento térmico controlado para obtenção da microestrutura desejada, em uma solução aquosa para quimissorção do princípio ativo e/ou composto de inclusão, sob agitação e controle rígido de pH. O controle das etapas de síntese e qualidade do produto será realizado por técnicas de caracterização físico-químicas, como espectroscopia infravermelho, difratometria de raios-X, técnicas termoanalíticas e ressonância magnética nuclear em solução e no estado sólido. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.