Busca avançada
Ano de início
Entree

Rastreamento de cinco mutações novas no gene CYP21A2 em 220 pacientes com hiperplasia adrenal congênita por deficiência da 21-hidroxilase

Resumo

A deficiência da 21-hidroxilase é uma das mais frequentes doenças autossômicas recessivas. Apresenta um espectro de manifestações clínicas que varia de uma forma assintomática a uma forma severa em que ocorre virilização pré-natal da genitália externa de fetos femininos e pós-natal em ambos os sexos com desidratação hiponatrêmica. A deficiência da 21-hidroxilase é causada pela presença de mutações no gene que codifica a enzima (gene CYP21A2). O grande número de pacientes permite correlacionar o genótipo com a severidade das manifestações clínicas. Através de estudos de atividade enzimática in vitro observou-se a atividade conferida por cada mutação. Mutações que abolem a atividade enzimática correlacionam-se com a forma perdedora de sal, as que diminuem a atividade para 3% com a forma virilizante simples e as que diminuem a atividade enzimática para 20% correlacionam-se com a forma não clássica. A forte correlação do genótipo com o fenótipo permite a utilização da genotipagem no aconselhamento genético e diagnóstico pré-natal das gestações de risco, que são oferecidos aos pacientes da nossa Unidade. Foram identificadas 11 mutações novas no gene CYP21A2 na nossa amostra e em quatro delas já publicadas, foi observado efeito de gene fundador. Nosso objetivo é rastrear a presença de 5 destas mutações novas na nossa amostra de 220 pacientes com HACR-210H, assim como verificar se são decorrentes de eventos mutagênicos casuais ou de microconversões gênicas. Estes estudos permitem verificar o espectro das mutações no gene CYP21A2 na população brasileira com hiperplasia congênita da supra-renal por deficiência da 21-hidroxilase. (AU)