Busca avançada
Ano de início
Entree

Determinacao das exigencias nutricionais, composicao corporal e avaliacao economica da producao do dourado, salminus maxillosus, em diferentes fases de cultivo.

Resumo

Em um primeiro ensaio, juvenis e adultos de dourados Salminus maxillosus, peixe carnívoro originário da Bacia do Prata, serão coletados em represa. No ato da coleta os peixes serão sacrificadas por overdose em benzocaína, congelados imediatamente em nitrogênio líquido, acondicionados em caixa isotérmica sob refrigeração com gelo seco, transportados até o laboratório e armazenados em super congelador a - 80°C. Amostras de carcaça total, filé e gônadas dos peixes serão retiradas, trituradas, liofilizadas e levadas para análises dos aminoácidos. No ensaio 2, os peixes serão alimentados ad libitum em duas refeições diárias (08h00 e 17h00), com dietas contendo níveis de proteína bruta variando de 30 a 45% de PB, com incrementos de 5% entre uma e outra e níveis de energia digestível de 3.000 a 4.500 kcal/kg, com incrementos de 500 kcal/kg entre um e outro. No ensaio 3, serão avaliados quatro ingredientes protéicos de origem vegetal e animal quanto a digestibilidade dos nutrientes. No ensaio 4 serão testados cinco dietas, isoprotéicas e isoenergéticas, contendo diferentes proporções de proteína animal e vegetal no desempenho da espécie (100PV:0PA; 80PV:20PA; 60PV:40PA; 40PV:60PA; 20PV:80PA). O ensaio 4 tem como objetivo avaliar o efeito de níveis e tipos de lipídios como fonte de ácidos graxos essenciais, das séries n-3 e n-6, no crescimento e composição corporal de juvenis do dourado. Problemas patológicos causados pela deficiência ou excesso, assim como a capacidade de alongamento e desaturação dos ácidos graxos de cadeia mais curta para cadeia mais longa também serão descritos caso sejam observados. Os peixes serão alimentados com três dietas contendo diferentes níveis de óleo de soja (4%, 9% e 14%), que será utilizado como fonte de lipídios nas rações. O ensaio 5, tem como objetivo avaliar o efeito economizador da proteína por carboidratos. Para tanto cindo dietas, isoproteícas e isoenergéticas contendo diferentes níveis de carboidratos (12%, 16%, 20%, 24%, 28%) serão utilizadas. Juvenis de dourado, treinados para aceitar alimentos secos, serão distribuídos em gaiolas de volume igual a 60 litros (30 peixes gaiola-1), confeccionadas em tela de policroleto de vinila atóxico com abertura de malha de 5 mm, alojadas em tanques de polipropileno de 1000 L, com sistema fechado de circulação de água, instaladas em estufa térmica, com temperatura controlada à ± 27°C e aeração forçada por soprador e difusores. A conversão alimentar, consumo de ração, ganho de peso, relação energia:proteína, rendimento e composição da carcaça, valor produtivo da proteína e taxa de eficiência protéica, retenção da energia bruta, relação hepatosomática, glicogênio no figado e músculo, serão usados como parâmetros na avaliação dos tratamentos. O delineamento utilizado será o inteiramente casualizado em cada ensaio (n=4). Os dados serão submetidos à análise de variância utilizando-se o software SAS, e aplicando-se "Broken Line Analysis", análise de regressão polinomial, para a determinação da melhor dieta nutricionalmente adequada do pondo de vista energético-protéico e economicamente viável para o cultivo comercial do dourado. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)