Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel das células dentríticas no direcionamento funcional da auto-reatividade celular a HSP60, nos sistemas humano e murino

Processo: 03/14097-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2004 - 31 de dezembro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Verônica Porto Carreiro de Vasconcellos Coelho
Beneficiário:Verônica Porto Carreiro de Vasconcellos Coelho
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Autoimunidade  Imunorregulação  Terapia baseada em transplante de células e tecidos  Transplantes  Células dendríticas 

Resumo

As proteínas de choque térmico (Hsp) são famílias de moléculas filogeneticamente conservadas envolvidas em várias funções importantes na manutenção da homeostase. Além do papel de chaperonas, elas atuam na ativação das respostas imunes inata e adaptativa. Dentre as Hsp, a Hsp60 tem sido muito estudada em diversos modelos de doenças auto-imunes e freqüentemente implicada na sua patogênese. Por outro lado, dados da literatura e também do nosso grupo apontam para um papel da Hsp60 na regulação negativa de respostas imunes inflamatórias. Ela tem sido considerada, por alguns grupos, como um importante alvo de reconhecimento na auto-imunidade fisiológica e benéfica. A observação de que indivíduos sadios têm linfócitos T e anticorpos com reatividade dirigida às Hsp também reforça um papel destas proteínas na manutenção da homeostase. O envolvimento de Hsp60 tanto em respostas imunes inflamatórias quanto antiinflamatórias, assim como a sua propriedade de fazer uma interface entre as respostas imunes inata e adaptativa, são características compartilhadas com as células dendríticas (DC). Estas células são especializadas na captura, processamento e apresentação de antígenos para linfócitos T inexperientes, efetores e reguladores. Há vários trabalhos na literatura sugerindo um papel das DC no direcionamento da resposta imune, dependendo do seu estágio de maturação e do microambiente em que se encontram. Dessa forma, considerando o potencial papel das DCs na indução e manutenção das respostas imunológicas, assim como, a potencial atividade reguladora da Hsp60, temos como objetivo, no presente trabalho, investigar a capacidade das DC de direcionar a auto-reatividade celular à Hsp60 para uma atividade reguladora tanto no sistema humano como murino. Esses dados poderão contribuir para o desenvolvimento de protocolos para a regulação da resposta inflamatória na clínica, tanto no transplante alogeneico, como em doenças auto-imunes. (AU)