Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da atividade física na reatividade do músculo liso de corpo cavernoso de ratos em diferentes estados patológicos

Processo: 04/02971-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2005 - 30 de abril de 2007
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Angelina Zanesco
Beneficiário:Angelina Zanesco
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Diabetes mellitus  Exercício físico  Hipertensão  Óxido nítrico  Disfunção erétil 

Resumo

As doenças cardiovasculares incluindo doenças coronarianas, infarto, hipertensão arterial, hipercolesterolemia e doenças vasculares periféricas e também o diabetes mellitus estão estreitamente correlacionadas com a presença de disfunção sexual em homens. Observou-se que cerca de 39 % dos pacientes hipertensos possuem disfunções sexuais comparados com 16 % em sujeitos normotensos. Com relação à concentração de colesterol total e prevalência de impotência, resultados conflitantes existem. Alguns autores relatam uma direta correlação entre impotência e altos níveis de colesterol, enquanto que em outros trabalhos, nenhuma correlação foi encontrada. Assim, maiores estudos devem ser realizados para dirimir esta questão assim como a possível interferência de drogas antilipidêmicas na ereção peniana. Cerca de 75% dos homens diabéticos possuem disfunção peniana, sendo que essa alta prevalência está diretamente associada às complicações da doença relacionados às terminações nervosas e a vascularização tecidual. A atividade física regular tem sido recomendada como terapêutica não farmacológica na prevenção e/ou tratamento das doenças cardiovasculares e na melhora do quadro do diabetes mellitus. Inúmeros trabalhos mostram os benefícios do exercício dinâmico na hemodinâmica cardiovascular, como redução da resistência vascular periférica com aumento na produção de substâncias vasoativas como NO e redução dos níveis de LDL plasmático. Além disso, a atividade física regular promove maior captação de glicose pelas células musculares esqueléticas melhorando os níveis glicêmicos de indivíduos diabéticos. No entanto, até o momento, nenhum estudo foi realizado para averiguar os efeitos da atividade física sobre a função erétil em diferentes doenças cardiovasculares e no diabetes mellitus. Assim, o estudo destas patologias e o possível papel do exercício físico na disfunção erétil, possui grande relevância na área de saúde pública e na qualidade de vida de sujeitos com essas patologias. Resultados preliminares em nosso laboratório mostram que a corrida em esteira por 8 semanas promove aumento significativo nas respostas relaxantes mediadas por NO em corpo cavernoso de ratos, sem nenhuma alteração significativa nas respostas contráteis evocadas pela fenilefrina, endotelina-1 ou estímulo elétrico (liberação de noradrenalina). O presente estudo tem como objetivo geral avaliar a influência do exercício físico regular na atividade da musculatura lisa de corpo cavernoso de ratos submetidos a modelos de hipertensão arterial (administração diária de L-NAME), de diabetes (injeção de estreptozotocina) e de hipercolesterolemia (dieta rica em colesterol). (AU)