Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de produtos terapêuticos, profiláticos, cosméticos e de higiene a base de biosilicato

Processo: 06/52120-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de março de 2007 - 31 de agosto de 2007
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Christian Ravagnani
Beneficiário:Christian Ravagnani
Empresa:Vitrovita Instituto de Inovação em Vitrocerâmicos Importação e Exportação Ltda. - EPP
Município: São Carlos
Bolsa(s) vinculada(s):07/50331-2 - Desenvolvimento de produtos terapêuticos, profiláticos, cosméticos e de higiene a base de biosilicato, BP.PIPE
Assunto(s):Cosméticos 

Resumo

Os vidros bioativos há cerca de 30 anos vêm sendo utilizados nas áreas médica e odontológica. Entre 2001 e 2003, foi desenvolvida uma vitrocerâmica bioativa inovadora, denominada Biosilicato, com nível de bioatividade similar ao vidro de mais alta bioatividade conhecido, 45S5, porém com vantagens para utilização em aplicações do material na forma particulada que envolva fricção, o que resultou no depósito da patente Pl0300644-1 e WO 2004/074199. O processo de produção em escala do biosilicato está em fase final de desenvolvimento pela Vitrovita, com o apoio da FAPESP (PIPE fase II - Proc. N. 03/13389-1), com término previsto para julho de 2006. Nesse processo o biosilicato será obtido na forma de um pó fino (< 20µm) que pode ser utilizado não somente para o tratamento da hipersensibilidade dentinária e remineralização dental como também para combater microorganismos patogênicos da pele e radicais livres que provocam degeneração e envelhecimento da pele, já que pesquisas recentes relatam que os vidros bioativos finamente particulados apresentam elevado poder antimicrobiano, antioxidante e antiinflamatório. Dessa forma, o presente projeto visa o desenvolvimento de produtos profiláticos, terapêuticos e de cuidado pessoal utilizando o biosilicato, que é um material similar aos vidros bioativos, porém genuinamente nacional. Para atingir esses objetivos serão elaboradas, com o auxílio da FORP - USP, formulações de géis e cremes dentais variando-se os componentes, a concentração do biosilicato e a concentração de água e realizados testes acelerados de estabilidade física dessas formulações. Também serão avaliadas as transformações superficiais do biosilicato durante sua permanência nas formulações que apresentarem estabilidade física em longo prazo através da espectroscopia do infravermelho, microscopia eletrônica de varredura e variação do pH das formulações, com o auxílio do DEMa - UFSCar. Além disso, com o auxílio da FCFRP - USP será avaliada a ação antioxidante do biosilicato em diferentes testes in vitro e sua atividade antimicrobiana contra cepas de microrganismos capazes de produzir efeitos indesejáveis na pele. Como resultado desse projeto esperamos obter produtos de maior alcance social e que proporcionem maior praticidade no tratamento de problemas que atingem o ambiente oral e a pele. Estrategicamente, a Vitrovita espera introduzir-se no mercado de cosméticos e higiene pessoal, produzindo esses produtos e fornecendo o biosilicato para incorporação aos produtos de outras empresas do setor. (AU)