Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliacao dos niveis sericos do fator de crescimento do endotelio vascular - vegf em caes portadores de sarcomas de tecidos moles submetidos a diferentes tratamentos.

Processo: 04/08218-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2004 - 30 de setembro de 2006
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Julia Maria Matera
Beneficiário:Julia Maria Matera
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Fatores de crescimento do endotélio vascular  Tomografia  Prognóstico 

Resumo

Os sarcomas de tecidos moles são tumores de crescimento lento, localmente invasivos infiltrando ao longo de planos e fáscias. Apresentam potencial metastático baixo, dependendo do grau histológico. O tratamento clássico consiste na excisão cirúrgica com ampla margem de segurança, atualmente tem se utilizado a criocirurgia para aqueles nos quais não há possibilidade de sua exérese com margem de segurança. O prognóstico para esses tumores tem sido feito com base no tamanho, localização, grau e tipo histológico, tratamento prévio e margens cirúrgicas. A literatura faz referência a vários marcadores tumorais como o p53, as ciclinas, os inibidores cinase ciclina-dependentes, o AgNOR e o Ki67 como fatores de prognóstico em vários tumores de humanos. Na Medicina Veterinária não há relatos da investigação do VEGF como indicador de prognóstico em sarcomas de tecidos moles. Portanto, o presente trabalho tem como objetivos analisar os níveis de séricos do VEGF em animais portadores de tumores de partes moles no pré e pós-operatório submetidos a diferentes terapias (excisão cirúrgica, excisão cirúrgica mais quimioterapia, excisão cirúrgica associada a criocirurgia), bem como correlacioná-lo com os perfis hematológicos, estadiamento e o grau histológico das formações. Avaliar a importância do VEGF sérico como marcador tumoral de valor prognóstico e eficácia dos tratamentos. Para tanto serão utilizados os cães encaminhados ao Serviço de Cirurgia de Pequenos Animais do Hospital Veterinário da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo que apresentem formações em tecidos moles que ao exame cito e histológico confirme o diagnóstico de sarcoma. (AU)