Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de elementos filtrantes para ambientes químicos agressivos encontrados na produção de petróleo

Processo: 07/59109-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de setembro de 2008 - 31 de agosto de 2010
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Mecânica - Processos de Fabricação
Pesquisador responsável:Samuel de Almeida Prado Tocalino
Beneficiário:Samuel de Almeida Prado Tocalino
Empresa:Adest Técnicas para Soldagem de Metais Ltda
Município: Campinas
Auxílios(s) vinculado(s):11/51043-6 - Organização de departamento de P&D e controle de qualidade para fabricação de elementos filtrantes de alta resistência por soldagem por difusão, AP.PIPE3
11/51998-6 - Organização de departamento de P&D e controle de qualidade para fabricação de elementos filtrantes de alta resistência por soldagem por difusão, AP.PIPE3
Bolsa(s) vinculada(s):10/01435-2 - Desenvolvimento, testes e qualificação de elementos filtrantes para ambientes químicos agressivos encontrados em poços de petróleo e gás, BP.TT
08/11651-4 - Desenvolvimento, testes e qualificação de elementos filtrantes para ambientes químicos agressivos encontrados em poços de petróleo e gás, BP.TT
08/55497-9 - Desenvolvimento de elementos filtrantes para ambientes químicos agressivos encontrados na produção de petróleo, BP.PIPE
Assunto(s):Soldagem  Filtração  Petróleo 

Resumo

Os poços de petróleo perfurados em formações areníticas de baixo ou médio grau de consolidação, quase a totalidade no Brasil, requerem a instalação de equipamentos para controle de areia. Sem estes equipamentos, os grãos de areia arrastados pelo petróleo erodem os tubos e limitam a vida útil de cada poço. Em poços não revestidos (vasta maioria no litoral brasileiro), a utilização de telas premium é a prática mais recomendada pela Petrobras. Este modelo de telas é o mais consumido no Brasil para contenção de areia, sendo utilizado também em poços injetores de água para se evitar o refluxo de areia em períodos de fechamento. Exceto pelos elementos filtrantes (60% do custo), todos os componentes básicos são fabricados no Brasil com a qualidade e as normalizações requeridas. Atualmente, a Petrobras tem como opções de compra somente produtos importados. O único empecilho para a integração desses componentes para a fabricação no Brasil é a indisponibilidade da tecnologia nacional para se realizar soldagem por difusão (Diffusion Bonding, DB) em camadas de tecidos metálicos. O projeto FINEP 01.060944-00 (Chamada Pública MCT/FINEP/CT-Petro - Temas Estratégicos 01/2006), executado pela DFB LTDA. e pelo Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), já em andamento, desenvolve elementos filtrantes em aço inoxidável, correspondente a 80% do mercado nacional. O projeto proposto visa desenvolver o processo de fabricação por DB e qualificação de elementos filtrantes em Inconel-625, correspondendo aos 20% restantes do mercado nacional, porém, com valor agregado muito superior. Posteriormente, essa tecnologia será industrializada e telas premium disponibilizadas à Petrobras dentro do espírito do PROMINP (Programa de Mobilização da Indústria Nacional do Petróleo). O mercado brasileiro de telas premium é de cerca de US$ 40 milhões anuais, com tendência ascendente e a tecnologia desenvolvida tem outras aplicações, como a fabricação de filtros especiais, aeronáutica e mecânica. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
Sem areia