Busca avançada
Ano de início
Entree

Dinâmica de carbono no agrossistema cana-de-açúcar: modelagem matemática e implicações ambientais

Processo: 05/50970-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2005 - 31 de outubro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Carlos Clemente Cerri
Beneficiário:Carlos Clemente Cerri
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Manejo e tratos culturais  Colheita  Cana-de-açúcar  Dinâmica do carbono  Gases do efeito estufa  Resíduos agrícolas  Impactos ambientais  Mudança climática 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Contribuições...climáticas_38_62_63.pdf

Resumo

A cana-de-açúcar é uma cultura importante na agricultura brasileira, tanto pela geração de renda e empregos como pela geração de divisas por meio das crescentes exportações de açúcar e álcool. A queima da palhada da cana, para facilitar a colheita e o transporte dos colmos, tem sido praticada há séculos no Brasil. Atualmente, por razões econômicas e legais, a colheita da cana-de-açúcar sem queima, com manutenção da palhada sobre o solo, tem crescido. Pouco se sabe, no entanto, sobre os efeitos em longo prazo da presença ou ausência de palhada na dinâmica do carbono no agrossistema cana-de-açúcar. A modelagem matemática pode ser uma ferramenta eficaz para compreender esses processos e para estimar o potencial de sequestro de carbono no solo sob a cultura de cana-de-açúcar. O sequestro de carbono tem importância agronômica, ambiental e econômica no contexto das mudanças climáticas e do chamado mercado de carbono. O objetivo deste estudo é avaliar o efeito do manejo com e sem queima na dinâmica do carbono no agrossistema cana-de-açúcar, com vistas à mitigação do efeito estufa, utilizando o modelo Century. Serão utilizadas áreas na usina São Martinho em Pradópolis, São Paulo. Duas cronossequências serão analisadas, ou seja, talhões nos quais a cana foi plantada há oito, seis, quatro e dois anos, além de vegetação nativa. As áreas estudadas estão localizadas na classe de solo predominante na região, latossolo vermelho. Uma cronossequência teve manejo da colheita com queima, e outra, sem queima. Serão feitas coletas de solo, para avaliação dos seguintes atributos: pH, densidade, frações argila, silte e areia, C e N totais e biomassa microbiana C. Os resultados das análises químicas e físicas serão usados na parametrização do modelo e submetidos à análise estatística multivariada. (AU)