Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação in vitro dos efeitos do flúor sobre o esmalte e a dentina humanos após a técnica do clareamento dental caseiro com peróxido de carbamida a 10%

Resumo

Este estudo in vitro propõe avaliar os efeitos do íon flúor em esmalte e dentina humanos durante o clareamento dental caseiro com peróxido de carbamida a 10%. No ESTUDO 1, 240 blocos de esmalte serão subdivididos em 6 grupos (n=40): (1) gel clareador com flúor (0,11%) + gel de flúor (2%); (2) gel clareador com flúor (0,11%) + gel de flúor placebo; (3) gel clareador sem flúor + gel de flúor (2%); (4) gel clareador sem flúor + gel de flúor placebo; (5) gel clareador placebo + gel de flúor (2%); (6) gel clareador placebo + gel de flúor placebo. Dez blocos de cada grupo terão medida a microdureza superficial inicial (n=60, KHNi), assim como outros 10 de cada grupo terão medida a rugosidade de superfície inicial (n=60, RS;). Todos os blocos dentais serão submetidos ao clareamento por 7 horas diárias, durante 14 dias. Após essa fase, os 120 blocos previamente avaliados quanto à KHNi e à RSi serão novamente avaliados (KHNf e RSf); outros 10 espécimes de cada grupo serão testados quanto à incorporação de flúor no esmalte (n=60); e os 10 blocos restantes de cada grupo serão submetidos a 5 dias de ciclagens de pH (n=60). A desmineralização desses blocos será avaliada através da microdureza do esmalte seccionado. No ESTUDO 2, 180 novos blocos de dente humano serão divididos em 6 grupos (n=30) semelhantes aos do Estudo 1. Em seguida, serão restaurados com resina composta e avaliados quanto à resistência de união após 1 dia (n=60), 7 dias (n=60) e 14 dias (n=60), através de ensaios de microtração. O padrão de fratura dos espécimes será observado em microscópio eletrônico de varredura (MEV). (AU)