Busca avançada
Ano de início
Entree

Hiperprolactinemia e atividade de macrofagos peritoneais de ratas: influencia da experiencia reprodutiva.

Resumo

A experiência reprodutiva é um evento relevante na vida de uma fêmea e pode ser descrita como uma rica experiência social e hormonal que compreende o acasalamento, prenhez, parto e lactação. A experiência reprodutiva influencia tanto o metabolismo como as concentrações séricas de estrógenos, cortisol e prolactina (PRL), sendo que a liberação desta é dramaticamente influenciada pelo parto e sua inibição depende da ativação do receptor adenohipofisário de dopamina (DA) como conseqüência do aumento da atividade neuronal dopaminérgica túbero-infundibular. A literatura sugere que o sistema dopaminérgico pode ser influenciado pela experiência reprodutiva, pois em roedores resulta em aumento da atividade dopaminérgica tanto no lobo frontal quanto em regiões hipotalâmicas. Por outro lado, a hipófise apresenta um papel importante na regulação do crescimento, diferenciação e função de todas as células do organismo, incluindo as células do sistema imune. Assim, a comunicação recíproca entre os sistemas neuroendócrino e imune é crítica para o estabelecimento da homeostase e mecanismos de defesa do organismo. Neste contexto, existem vários fatores que demonstram a existência de uma interação entre esses sistemas por meio da ação da PRL, entre os quais pode-se ressaltar: a existência de receptores para esse hormônio em linfócitos B e T e monócitos de humanos, a secreção de PRL pelos linfócitos e evidências sobre o papel da PRL na regulação das respostas humoral e celular. Porém, a atividade dopaminérgica em animais com ou sem experiência reprodutiva com hiperprolactinemia farmacologicamente induzida, bem como a influência desse tratamento na expressão de genes que codificam para citocinas envolvidas no processo inflamatório, não é bem conhecida. Diante do exposto, o presente projeto de pesquisa pretende estudar os efeitos da hiperprolactinemia sobre a atividade de macrófagos de ratas com e sem experiência reprodutiva, levando-se em consideração a interferência exercida por tal experiência sobre o sistema dopaminérgico, e assim hipoteticamente sobre a ação imunológica da PRL. Esses objetivos deverão ser atingidos por meio de citometria de fluxo e de abordagens neuroquímicas e moleculares. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CARVALHO-FREITAS, MARIA I. R.; RODRIGUES-COSTA, ELAINE C.; NASELLO, ANTONIA G.; PALERMO-NETO, JOAO; FELICIO, LUCIANO F. In vitro macrophage activity: Biphasic effect of prolactin and indirect evidence of dopaminergic modulation. NEUROIMMUNOMODULATION, v. 15, n. 2, p. 131-139, 2008. Citações Web of Science: 20.
CARVALHO-FREITAS‚ MIR; ANSELMO-FRANCI‚ JA; TEODOROV‚ E.; NASELLO‚ AG; PALERMO-NETO‚ J.; FELICIO‚ LF. Reproductive experience modifies dopaminergic function‚ serum levels of prolactin‚ and macrophage activity in female rats. Life Sciences, v. 81, n. 2, p. 128-136, 2007.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.