Busca avançada
Ano de início
Entree

Memoria operacional para tons, palavras e pseudopalavras em cantores.

Processo: 05/59177-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2006 - 30 de junho de 2008
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Cognitiva
Pesquisador responsável:Maria Gabriela Menezes de Oliveira
Beneficiário:Maria Gabriela Menezes de Oliveira
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Memória de curto prazo  Memória operacional  Cantores 

Resumo

No modelo de memória operacional (MO) de Baddeley, a alça fonológica seria um sistema de armazenamento verboacústico temporário. A grande amplitude de armazena-mento observada em testes de span numérico em humanos pode ser devida a interação entre vários elementos: semântica, poucos fonemas, efeitos de modalidade sensorial, etc. Estudos de retenção de material melódico propõem a existência de outras alças na memória de curto prazo que lidariam com diferentes aspectos do material musical. Esta hipótese pode ser testada através do teste de span na ordem inversa, uma medida de MO. O objetivo deste trabalho é verificar se a MO lida diferentemente com materiais sonoros verbais e não verbais. 60 sujeitos serão divididos em três grupos: cantores amadores e/ou profissionais, sujeitos sem educação musical e cantores amadores e/ou profissionais com ouvido absoluto. Todos serão submetidos a testes de span de dígitos, pseudopalavras e tons, na ordem direta e inversa. Os resultados serão analisados por uma ANOVA de uma via para medidas repetidas (AU)