Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de um equipamento para monitoramento minimamente invasivo da pressão intracraniana

Processo: 08/53436-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de dezembro de 2008 - 28 de fevereiro de 2011
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Engenharia Médica
Pesquisador responsável:Sergio Mascarenhas Oliveira
Beneficiário:Sergio Mascarenhas Oliveira
Empresa:Sapra S/A
Município: São Carlos
Auxílios(s) vinculado(s):11/51080-9 - Registro e comercialização de um equipamento para monitoramento minimamente invasivo da pressão intracraniana, AP.PIPE3
11/51999-2 - Registro e comercialização de um equipamento para monitoramento minimamente invasivo da pressão intracraniana, AP.PIPE3
Bolsa(s) vinculada(s):10/08248-3 - Desenvolvimento de um equipamento para monitoramento minimamente invasivo da pressão intracraniana, BP.TT
09/07251-3 - Desenvolvimento de um equipamento para monitoramento minimamente invasivo da pressão intracraniana, BP.TT
10/08249-0 - Desenvolvimento de um equipamento para monitoramento minimamente invasivo da pressão intracraniana, BP.TT
08/11267-0 - Desenvolvimento de um equipamento para monitoramento minimamente invasivo da pressão intracraniana, BP.TT
Assunto(s):Pressão intracraniana 

Resumo

Na primeira fase do presente projeto foi desenvolvido um equipamento minimamente invasivo para monitorar a pressão intracraniana (PIC). Nossa proposta consiste na utilização de um extensômetro de resistência elétrica, do tipo diafragma ou SR-4 de ¼ de ponte capaz de captar as deformações ósseas decorrentes da variação da PIC, um módulo analógico digital, para transferir os dados para um monitor de parâmetros clínicos ou computador e um software LabView, para interpretar os resultados. Nossa proposta se propõe satisfazer uma demanda mundial vigente por sistemas não invasivos ou pelo menos minimamente invasivos para monitoramento da PIC.No Brasil, a demanda atual é da ordem de 157.000 ocorrências/ano segundo o DATASUS. Atualmente, todos os métodos comerciais existentes são invasivos, gerando riscos de infecções e traumas decorrentes da técnica. Diversas tentativas de medir a PIC utilizando métodos não invasivos, tais como ultrassom, imagens tomográficas e de ressonância, não se mostraram comercialmente viáveis ou só fazem medidas instantâneas, sem permitir realizar leituras dinâmicas. Além destes aspectos os custos são elevados e até proibitivos. Não existem equipamentos não invasivos em uso nem sendo comercializados. O protótipo de nosso equipamento foi montado, testado e atingiu o objetivo planejado. Entretanto, há ainda desafios a serem transpostos para que este protótipo se transforme em um equipamento médico devidamente certificado e que atenda plenamente aos múltiplos objetivos aos quais se destina. Vários testes e experimentos deverão ainda ser realizados até que tenhamos um equipamento seguro, fidedigno e de comercialização garantida que poderá ser utilizado em outras áreas, assim abrindo novos mercados. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Projetos de inovação em saúde salvam vidas 
Cientistas desenvolvem método não invasivo para monitorar a pressão intracraniana 
Por uma nova engenharia 
Monitor cerebral 
Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio:
Sob pressão 
Cérebro vigiado 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.