Busca avançada
Ano de início
Entree

Eficacia do movatec, administrado por diferentes vias, como adjuvante no controle, da uveite em caes (canis familiaris - linnaeus, 1758).

Resumo

Buscar-se-á avaliar a eficácia do movatec® (meloxicam) no controle da inflamação intra-ocular, quando administrado por diferentes vias, em uveítes experimentalmente induzidas em cães. Vinte cães serão distribuídos em quatro grupos (n=5). O GI receberá 0,2 mg/kg de m movatec® pela via subcutânea. O GII o receberá pela via subconjuntival e o GIII topicamente sobre a córnea do olho direito (OD). O GIV não receberá tratamento algum e servirá de controle para o GI. Os animais do GII e GIII receberão solução salina no olho esquerdo, que servirá de controle para o OD. A uveíte será induzida por paracentese de câmara anterior. Previamente às administrações do fármaco, será colhido 0,2 ml de humor aquoso em dois momentos diferentes (primeiro e segundo momentos), com intervalo de 24 horas. No GI, GII e GIII o fármaco será administrado logo após o primeiro momento. Apenas o GIII receberá tratamentos regulares a cada 8 horas até o segundo momento. Os sinais clínicos representados por hiperemia conjuntival, edema de córnea, "flare", oftalmorréia, assim como alterações da pressão intra-ocular, diâmetro pupilar, concentração de proteínas totais do humor aquoso e eventos retinianos serão avaliados. Amostras da conjuntiva bulbar do GII serão colhidas durante o segundo momento e avaliadas à microscopia óptica. Para estudo à estatística, empregar-se-ão o teste pareado t Student, o teste Turkey (P significativo se = 0,05). Empregar-se-ão, outrossim, o coeficiente de correlação de Pearson. (AU)