Busca avançada
Ano de início
Entree

Sinalizador de trânsito, a base de Led, com operação emergencial

Resumo

O Brasil possui atualmente cerca de 80.000 semáforos, sendo que mais da metade utiliza lâmpadas incandescentes. Além de serem pouco eficientes, essas lâmpadas acabam tornando-se um problema ambiental ao serem descartadas. Junto a isto está o problema de não atuarem em caso de descontinuidade do fornecimento de energia. Grandes centros sofrem esse problema. O projeto propõe um semáforo plano 'híbrido', que pode ser alimentado tanto pela rede elétrica convencional, quanto por energia solar. Isso tornou- se possível pela escolha e utilização de diodos emissores de luz (LEDs) de alta potência, eficiência energética. Esses LEDs possuem vida útil de 50.000 horas (com 70% de eficiência), enquanto as lâmpadas incandescentes duram apenas 4.000 horas. O custo de manutenção e o transtorno quando da queima de uma lâmpada também não podem ser desprezados, uma vez que, o tempo médio de troca de lâmpadas é de 15 horas (desde o comunicado à central até sua troca). Para a alimentação solar (principal), serão utilizadas células fotovoltáicas capazes de alimentar os semáforos, tornando-os extremamente econômicos. Um semáforo convencional utiliza lâmpadas incandescentes de 100W, consumindo 400W em apenas um cruzamento de quatro vias, enquanto o proposto teria um consumo de 60W (caso não tenha a presença de sol) resultando em uma economia entre 85 a 91 %. Na ausência das energias solar e elétrica, esse semáforo conta ainda com baterias, capaz de suprir a necessidade energética por mais de uma hora, garantindo assim a segurança dos motoristas. Outro aspecto inovador está relacionado à sua ótica refrativa. Assim sendo, os LEDs estão dispostos próximo a ela, tornando o semáforo mais fino e leve, dispensando o uso de refletores. A óptica refrativa permite melhor utilização e distribuição da luz emitida pelos LEDs. Este projeto terá o apoio técnico do Centro de Pesquisa em Óptica e Fotônica - CePOF/CEPID. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Semáforo de LED