Busca avançada
Ano de início
Entree

Mecanismos epigenéticos de regulação da expressão do receptor de andrógenos na próstata

Processo: 05/02601-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2006 - 31 de março de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Hernandes Faustino de Carvalho
Beneficiário:Hernandes Faustino de Carvalho
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Biologia celular  Próstata  Células estromais  Receptores androgênicos 

Resumo

A diferenciação, crescimento e funções prostáticas são dependentes de andrógenos. Os hormônios androgênicos (testosterona e diidrotestosterona) exercem suas funções via receptor de andrógenos (AR). O AR tem função reguladora da transcrição de diversos genes associados com vários aspectos do desenvolvimento de indivíduos do sexo masculino. De forma geral, os estrógenos têm efeito anti-androgênico, atuando sobre o eixo hipotálamo-hipófise e, assim, reduzindo a produção de testosterona pelos testículos. A presença de receptores de estrógenos na próstata permite assumir que o estradiol (E2) e moléculas similares tenham efeito direto sobre a sua fisiologia. Em trabalho recente, demonstramos a existência de mecanismos aditivos do efeito local (via receptores de estrógeno) e geral (via eixo) do estrógeno sobre a regressão prostática (Brazil. J. Med. Biol. Res. 38: 487, 2005). A exposição ao estrógeno no período neonatal afeta o crescimento prostático, através de um mecanismo conhecido como imprinting estrogênico. Este fenômeno é extremamente importante, pois pode ser acionado pela exposição do recém-nascido a várias substâncias com caráter estrogênico, e não somente ao estrógeno. Um dos efeitos do imprinting estrogênico causado por altas doses de estrógeno é a regulação negativa da expressão de receptores de andrógenos e reduzida resposta a aplicações de andrógeno, o que parece ser, em grande parte, responsável pelo comprometimento do crescimento prostático. Neste projeto estamos propondo a investigação da existência de mecanismos epigenéticos de regulação da expressão do AR, frente à exposição neonatal ao estrógeno, buscando determinar variações no grau de metilação da região promotora do gene para o receptor de andrógeno, identificar variações nas modificações covalentes das histonas associadas a esta mesma região, avaliar a localização do gene do AR nos núcleos das células epiteliais após o tratamento estrogênico e definir variações no padrão de metilação da região promotora após tratamento com siRNA. Como resultado, espera-se que o desenvolvimento deste projeto contribua para uma melhor compreensão do efeito do estrógeno sobre a biologia prostática, das interações entre os hormônios esteróides sexuais e dos mecanismos de regulação da expressão do gene do AR. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
AUGUSTO, T. M.; BRUNI-CARDOSO, A.; DAMAS-SOUZA, D. M.; ZAMBUZZI, W. F.; KUEHNE, F.; LOURENCO, L. B.; FERREIRA, C. V.; CARVALHO, H. F. Oestrogen imprinting causes nuclear changes in epithelial cells and overall inhibition of gene transcription and protein synthesis in rat ventral prostate. INTERNATIONAL JOURNAL OF ANDROLOGY, v. 33, n. 5, p. 675-685, OCT 2010. Citações Web of Science: 6.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.