Busca avançada
Ano de início
Entree

Gradientes de oxigênio, glicose, dióxido de carbono e lactato em diferentes compartimentos vasculares

Processo: 06/00561-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2006 - 31 de maio de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Eliezer Silva
Beneficiário:Eliezer Silva
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Unidades de terapia intensiva  Anóxia  Átrios do coração  Oxigênio  Lactatos 

Resumo

Alguns estudos têm demonstrado a existência de um gradiente decrescente entre os valores de saturação de oxigênio e concentração de lactato do átrio direito em relação à artéria pulmonar, definidos como ΔSO2 e ΔLac, respectivamente. Esses gradientes podem ser produzidos após a mistura do sangue do átrio direito com o sangue venoso miocárdico, que possui baixas concentrações de O2 e lactato. Outra possibilidade, entretanto, seria de que a mistura do sangue da veia cava inferior com o sangue atrial poderia ser o responsável por esses gradientes. Isso apenas poderia ocorrer se o sangue na veia cava inferior possuísse menores concentrações de O2 e lactato que o sangue do átrio direito. ΔSO2 e ΔLac teriam pouco significado clínico se fossem resultado da mistura do sangue da cava inferior e sangue do átrio direito. Por outro lado, se fossem produto da mistura do sangue atrial com o sangue efluente da circulação coronária, esses gradientes representariam sinais fisiológicos extremamente importantes enquanto espelhos do metabolismo miocárdico. Esses sinais poderiam ser monitorados com relativa facilidade em ambiente de Terapia Intensiva nos pacientes que estivessem em uso de cateter de artéria pulmonar. O trabalho em questão foi desenhado com o intuito de estudar (em cobaias, cães) as concentrações sanguíneas de O2, lactato, glicose e CO2 em diferentes compartimentos vasculares (arterial, veia cava inferior, superior, átrio direito, óstio do seio coronário, ventrículo direito e circulação pulmonar) em diferentes modelos de hipóxia tecidual (sepse , sangramento controlado, tamponamento e anemia isovolêmica). Objetiva-se, com essa análise, elucidar se esses gradientes existem pela mistura do sangue do átrio esquerdo com o efluente da circulação coronária ou com o sangue da veia cava inferior e identificar a possibilidade da existência de outros gradientes (CO2 e glicose). (AU)