Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de interação toxicogenética de polimorfismos da eNOS com metilmercúrio na população da região amazônica

Resumo

A hipótese a ser examinada neste projeto é a de que a exposição ambiental ao mercúrio orgânico (metilmercúrio) possa interagir com o variante genético “C” do polimorfismo T-786C da eNOS, potencializando o grau de comprometimento funcional do sistema do NO e aumentando o risco a doenças coronárias.Em uma primeira etapa, será desenvolvido um método simples e automatizado para especiação química de mercúrio em sangue e cabelo utilizando a cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE) acoplada a um detector de espectrometria de massas com plasma acoplado (ICPMS) para que apenas o metilmercúrio possa ser determinado nas amostras biológicas. Para tal, as amostras de sangue e cabelo serão previamente incubadas a temperatura ambiente com hidróxido de tetrametilamônio (TMAH) durante 2 horas em tubos Falcon de 15 mL como descrito anteriormente por Barbosa Jr e colaboradores e em seguida as espécies de Hg serão extraídas em solvente de acordo com método proposto por Liang e colaboradores. Após a eluição por uma coluna de fase reversa, as frações de amostra serão diretamente introduzidas em fluxo contínuo no ICPMS. Para a validação do método proposto serão analisados Materiais de Referência e Referência Certificada da “National Institute of Standards and Technology” e de Referência do Departamento de Saúde do Estado de Nova Iorque nos Estados Unidos e do Programa de Intercomparação de Laboratórios do INSP-Quebec no Canadá, ambos contendo mercúrio inorgânico e metilmercúrio. Em uma segunda etapa, pretende-se avaliar os efeitos da exposição ambiental ao metilmercúrio sobre a biodisponibilidade sistêmica de NO, bem como os efeitos da interação entre os níveis de metilmercúrio no sangue total e cabelo com os variantes genéticos do polimorfismo T786C da eNOS, sobre a biodisponibilidade sistêmica de NO. Para tal, em amostras de sangue e cabelo de adultos expostos ambientalmente ao metilmercúrio na região amazônica (Itaituba-Pará), serão determinados os níveis desta forma orgânica do metal por especiação química (utilizando o método desenvolvido na primeira etapa) e o de espécies relacionadas ao óxido nítrico, i.e. nitratos e nitritos (utilizando a técnica de quimioluminescência). Posteriormente, será realizada genotipagem para polimorfismos da eNOS (T786C) utilizando-se DNA genômico extraído do sangue dos próprios voluntários em estudo. Neste sentido, os resultados obtidos no presente estudo poderão trazer informações relevantes sobre a exposição ambiental ao mercúrio orgânico e suas conseqüências à saúde humana, pela possível influência do mesmo na produção de NO. Além disso, poderão ser evidenciados diferentes efeitos toxicológicos do metal entre variações genéticas na população em estudo. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio: