Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação e monitoramento de hepatotoxinas e neurotoxinas produzidas por cianobactérias em reservatórios de água e lagos na Alemanha e Brasil

Processo: 06/01553-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2006 - 31 de agosto de 2008
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Ernani Pinto Junior
Beneficiário:Ernani Pinto Junior
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):07/55143-0 - Cyanotoxin analyses by LC-MS: water and food safety evaluation | Jena - Alemanha, BE.PC
06/03697-9 - Padronização de métodos cromatográficos para a extração de microcistinas de florações algais e culturas de cianobactérias, BP.TT
Assunto(s):Toxicologia ambiental  Toxinas  Cianobactérias  Algas de água doce  Reservatórios  Espectroscopia de massa 

Resumo

Esse projeto visa uma interação entre Brasil e Alemanha para a investigação da ocorrência de substâncias tóxicas produzidas por algas em reservatórios de água nos dois países. Serão verificadas a presença de hepato e neurotoxinas produzidas por cianobactérias durante florações (microcistinas - MC, anatoxina, cilindrospermopsina, beta-N-metil-L-amino-alanina - BMAA, “Paralytic Shellfish Poisonings” - PSP e novas variantes de toxinas). Há nos laboratórios das Universidades de São Paulo e Jena equipamentos como HPLC (detectores de fluorescência e arranjo de diodos) e LC-MS/MS (triplo quadrupolo, IonTrap e Q-TOF), para a condução das análises. Além disso, há acesso a RMN de 1H e 13C para os pesquisadores brasileiros e alemães realizarem experimentos mais elaborados para a confirmação estrutural de novas variantes de toxinas encontradas. Pretende-se também obter padrões analíticos em quantidade (da ordem de miligramas) por meio do isolamento das toxinas de florações e culturas de cianobactérias mantidas em laboratório. Os padrões serão usados para a validação de métodos analíticos para a quantificação dessas substâncias em água para consumo humano. Além dos reservatórios de Bleiloch e Thuringia na Alemanha, os locais de coletas no Brasil serão lagos e represas do Estado de São Paulo, e também outros locais onde há colaborações já estabelecidas com o grupo, como por exemplo, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Minas Gerais. Além de artigos científicos, espera-se obter anticorpos poli e monoclonais para o preparo de kits com a finalidade se detectar toxinas que, a propósito, é tema de uma tese de doutorado (Fapesp - 2005/03505-0) vinculado ao projeto. Um banco de padrões de toxinas encontradas no Brasil e na Alemanha também faz parte dos resultados previstos, pois a importação desses compostos é difícil. Cabe ressaltar que a contrapartida alemã já está aprovada, sob a supervisão do Prof. Dr. Bernd Luckas (Universidade de Jena), conforme carta anexa da agência DLR. (AU)

Patente(s) depositada(s) como resultado deste projeto de pesquisa

MÉTODO PARA DETECÇÃO DE MICROCISTINAS E/OU NODULARINA EM AMOSTRAS AMBIENTAIS; KIT DE DIAGNÓSTICO, ANTICORPO POLICLONAL PARA DETECÇÃO DE MICROCISTINAS E/OU NODALARINA EM AMOSTRAS AMBIENTAIS E MÉTODO DE PRODUÇÃO DO REFERIDO ANTICORPO POLICLONAL PI0903998-8 - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) ; Universidade de São Paulo (USP) . Ernani Pinto; Fabyana Maria dos Anjos; Noeli Maria Espíndola - 07 de outubro de 2009

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.