Busca avançada
Ano de início
Entree

Instituto Nacional Avançado de Astrofísica

Processo: 08/57807-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de março de 2009 - 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Astronomia - Instrumentação Astronômica
Convênio/Acordo: CNPq - INCTs
Pesquisador responsável:João Evangelista Steiner
Beneficiário:João Evangelista Steiner
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):10/01686-5 - Estudo da evolução de galáxias com a síntese espectral, BP.DR
Assunto(s):Galáxias  Estrutura da galáxia  Estrelas  Cosmologia (astronomia)  Sistema solar 

Resumo

A Astronomia brasileira, embora jovem, já teve algumas conquistas notáveis: a introdução dos primeiros programas de pós-graduação da década de 1970, o estabelecimento do primeiro Laboratório Nacional no país (LNA) nos anos de 1980 e a entrada nos consórcios Gemini e SOAR nos anos 1990. Para a próxima década a astronomia mundial está planejando novos passos importantes. Em todas as faixas do espectro estão sendo planejadas e construídas novas gerações de telescópios. Muitos desses equipamentos são iniciativas multi nacionais, dados os elevados custos envolvidos, alguns deles na casa do bilhão de dólares e levando de 10 a 15 anos para serem concluídos. Participação direta nesses projetos está alem das nossas possibilidades, mas existem nichos que podem beneficiar nossa astronomia. A forma e intensidade desses benefícios dependem de alguns novos investimentos, mas principalmente de cuidadoso planejamento e visão estratégica. O objetivo desse projeto é de estabelecer um instituto nacional, de caráter estratégico, cuja missão é inserir a Astronomia brasileira no futuro da astronomia mundial. Na presente proposta, 144 cientistas com doutorado, de 27 instituições consolidadas e emergentes se reúnem para planejar e implementar ações, tendo em vista o futuro da astronomia brasileira. Somos cientistas de diversas instituições e especialidades, mas todos nós necessitamos da mesma infraestrutura cientifica e, principalmente, de estratégias coletivas. Essas são as características que dão unidade a presente proposta. Essas estratégias são cada vez mais necessárias, dados os elevados custos dos novos equipamentos de pesquisa e das escalas de tempo envolvidos na sua construção. Os resultados esperados desse instituto podem ser resumidos em 5 itens: 1- Maximização do retorno dos investimentos nos telescópios Gemini e SOAR: a) Propomos a meta que o Brasil mantenha a liderança na produtividade científica em ambos os consórcios Gemini e SOAR para os próximos 5 anos; b) Existem atualmente 14 programas de pós-graduação em astronomia. As possibilidades que se abriram com o acesso aos telescópios Gemini e SOAR atraíram muitos jovens talentosos para a astronomia. Nosso objetivo é dobrar o número de papers com dados dos grandes telescópios publicados por estudantes de pós-graduação brasileiros nos próximos 3 anos; c) Além de atrair e educar pessoas talentosas queremos, também, fixá-los. Novos grupos têm se formado, em geral pequeno; eles precisam ser apoiados, integrados em rede e ter acesso aos melhores equipamentos existentes; d) Incentivo ao desenvolvimento de instrumentação para os telescópios Gemini e SOAR. Nosso objetivo é concluir a construção e comissionamento dos três instrumentos em andamento e iniciar mais um nos próximos três anos. 2- Promover a participação da comunidade astronômica brasileira no uso dos dados do projeto LSST. Vamos apoiar durante os próximos 5 anos a participação brasileira em todos os subgrupos científicos; queremos, também, estruturar e avançar na elaboração do software para a análise de grandes bancos. 3- Grande parte dos dados obtidos em missões espaciais e também de telescópios terrestres está à disposição em bancos de dados públicos. Esses conjuntos de dados contem um tesouro de informação e explorá-los poderá ser de enorme benefício para a astronomia brasileira. Nosso objetivo é estabelecer uma rede brasileira operacional de observatórios virtuais nos próximos 3 anos. 4- No mínimo três novos projetos devem ser elaborados e propostos nas áreas de radioastronomia, satélites científicos e astronomia óptica/infravermelho. Esses projetos devem ser elaborados até o ponto em que eles possam ser levados às agências de financiamento ou parceiros internacionais. 5- No que se refere a divulgação científica, propomos traduzir o Portal do Universo da IAU para a Língua Portuguesa além de organizar um curso a distância de astronomia para professores de Ciência. Esse esforço é de fundamental importância para que a próxima geração de cientistas possa realizar pesquisa de ponta. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
O fator buraco negro 
Buracos Negros – Sementes ou Cemitérios de Galáxias? 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
OLIVEIRA, H. O.; MAGALHAES, N. S.; MARINHO, JR., R. M.; CARVALHO, G. A.; FRAJUCA, C. Relating braking indices of young pulsars to the dynamics of superfluid cores. Journal of Cosmology and Astroparticle Physics, n. 11 NOV 2018. Citações Web of Science: 0.
DE OLIVEIRA, CLAUDIA MENDES; TAYLOR, KEITH; QUINT, BRUNO; ANDRADE, DENIS; FERRARI, FABRICIO; LAPORTE, RENE; RAMOS, GISELI DE A.; DANI GUZMAN, CHRISTIAN; CAVALCANTI, LUIZ; DE CALASANS, ALVARO; FERNANDEZ, JAVIER RAMIREZ; GUTIERREZ CASTANEDA, EDNA CAROLINA; JONES, DAMIEN; FONTES, FERNANDO LUIS; MOLINA, ANA MARIA; FIALHO, FABIO; PLANA, HENRI; JABLONSKI, FRANCISCO J.; REITANO, LUIZ; DAIGLE, OLIVIER; SCARANO, JR., SERGIO; AMRAM, PHILIPPE; BALARD, PHILIPPE; GACH, JEAN-LUC; CARIGNAN, CLAUDE. The Brazilian Tunable Filter Imager for the SOAR Telescope. Publications of the Astronomical Society of the Pacific, v. 125, n. 926, p. 396-408, APR 2013. Citações Web of Science: 7.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.