Busca avançada
Ano de início
Entree

Geoquímica de isótopos estáveis (O e C) e microestratigrafia de estalagmites aplicadas à estudos paleoclimáticos do Holoceno no Brasil

Processo: 06/02834-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2006 - 30 de novembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Ivo Karmann
Beneficiário:Ivo Karmann
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IGC). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):08/00998-3 - "geoquímica de isótopos estáveis (o e c) e microestratigrafia de estalagmites aplicadas à estudos paleoclimáticos do Holoceno no Brasil", BP.TT
Assunto(s):Paleoclimatologia  Geocronologia  Holoceno  Geoquímica isotópica  Isótopos estáveis 

Resumo

Propõe-se investigar variações paleoclimáticas do Holoceno ao presente em áreas situadas no domínio dos sistemas climático da Monção Sul-Americana de verão (MSA) e em regiões afetadas diretamente pelo deslocamento anual da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) no Brasil. O projeto visa a utilização conjunta de perfis de variação da espessura das laminações e razões isotópicas de O e C em amostras de estalagmites compostas primariamente por laminações anuais a subanuais, confirmadas pela geocronologia U/Th. Em escala interannual a decadal pretende-se discutir variações de pluviosidade nos diferentes sistemas meteorólogicos e possível relação com fenômenos climáticos como El Niño-Oscilação Sul (ENOS) e fatores como variações nos padrões de temperatura da superfície marinha (TSM) do Oceano Atlântico. Adicionalmente, em escala milenial a centenial, pretende-se investigar a importância de eventos climáticos típicos do Hemisfério norte com Bond events, Medieval Warm, e Little-Ice age na paleopluviosidade da porção sul da América do Sul.Como referência para orientar e suportar a interpretação do sinal climático de espeleotemas antigos, pretende-se avaliar a relação entre composição isotópica de espeleotemas modernos face a climatologia moderna. A avaliação será executada em duas etapas simultâneas: i) Investigação da variação composição isópica da água da chuva no contexto climatológico sazonal, mensal e em escala sinóptica; ii) Comparação entre composição isotópica da água da chuva, gotejamentos de cavernas e espeleotemas modernos, conjuntamente com parâmetros climáticos e hidrológicos em áreas representativas dos diferentes sistemas climáticos mais importantes na faixa tropical brasileira. (AU)