Busca avançada
Ano de início
Entree

Ecologia e evolução do Paracoccidioides brasiliensis: avaliando a ocorrência de espécies crípticas e detecção molecular em animais silvestres em área hiper endêmica de paracoccidioidomicose

Processo: 06/03597-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2006 - 28 de fevereiro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Pesquisador responsável:Eduardo Bagagli
Beneficiário:Eduardo Bagagli
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Paracoccidioides brasiliensis  Micologia 

Resumo

O presente projeto visa estudar aspectos ecológicos e evolutivos do Paracoccidioides brasiliensis, agente etiológico da Paracoccidioidomicose (PCM), micose sistêmica mais importante da América Latina. A fase ambiental produtora de propágulos infectantes, seu nicho ecológico e outros aspectos fundamentais da biologia deste patógeno são ainda pouco compreendidos, de forma que medidas preventivas contra novas infecções não podem ser adotadas adequadamente, e a doença ainda apresenta sérias dificuldades para o tratamento, com recidivas e óbitos, causando assim importante impacto na saúde principalmente de trabalhadores rurais. Trabalhos em desenvolvimento pelo nosso grupo, na região hiperendêmica de PCM de Botucatu/SP, em colaboração com diversos outros centros de pesquisa, já demonstraram que: i) a freqüência de infecção pelo P. brasiliensis em tatus é alta; ii) os mesmos ecopatogenótipos infectam animais silvestres e seres humanos; iii) o emprego de animais silvestres naturalmente infectados, em particular os tatus, representa um promissor caminho para a elucidação da história natural da PCM; iv) métodos moleculares são eficientes para a detecção ambiental do patógeno tanto em solo como em tecido animal; v) o Sistema de Informação Geográfica (SIG) representa uma importante ferramenta no estudo da ecoepidemiologia da PCM. A constatação por métodos moleculares da existência de espécies crípticas simpátricas de P.brasiliensis, tanto em pacientes quanto nos tatus da região endêmica de Botucatu, torna necessário que este assunto seja avaliado de forma mais aprofundada. A existência de diferentes espécies em P. brasiliensis se confirma por outros métodos de estudo? As diferentes espécies crípticas apresentam diferentes capacidades de infecção humana e animal? Os quadros clínicos e as respostas ao tratamento são distintos? Apresentam diferentes perfis antigênicos e de sensibilidade aos antifúngicos? Os nichos ecológicos são distintos? Neste novo projeto pretendemos responder pelo menos parte destas perguntas. Métodos moleculares juntamente com técnicas micológicas tradicionais serão empregados na caracterização filogenética de uma coleção representativa de isolados do patógeno, incluindo uma série de isolados recentes de pacientes ainda em tratamento, cujos aspectos clínicos serão comparados com os perfis filogenéticos dos isolados. Na frente ambiental, pretendemos fazer a detecção molecular do P. brasiliensis e/ou outros fungos Onygenales em animais silvestres atropelados em beiras de estradas, utilizando-se de protocolos de Nested PCR já implantados no laboratório. (AU)

Publicações científicas (7)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
THEODORO, RAQUEL CORDEIRO; VOLKMANN, GERRIT; LIU, XIANG-QIN; BAGAGLI, EDUARDO. PRP8 intein in Ajellomycetaceae family pathogens: Sequence analysis, splicing evaluation and homing endonuclease activity. Fungal Genetics and Biology, v. 48, n. 2, p. 80-91, FEB 2011. Citações Web of Science: 6.
RICHINI-PEREIRA, V. B.; BOSCO, S. M. G.; THEODORO, R. C.; BARROZO, L.; BAGAGLI, E. Road-killed wild animals: a preservation problem useful for eco-epidemiological studies of pathogens. Journal of Venomous Animals and Toxins including Tropical Diseases, v. 16, n. 4, p. 607-613, 2010. Citações Web of Science: 3.
RICHINI-PEREIRA, VIRGINIA BODELAO; GIMENES BOSCO, SANDRA DE MORAES; THEODORO, RAQUEL CORDEIRO; DA GRACA MACORIS, SEVERINO ASSIS; BAGAGLI, EDUARDO. Molecular approaches for eco-epidemiological studies of Paracoccidioides brasiliensis. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, v. 104, n. 4, p. 636-643, JUL 2009. Citações Web of Science: 9.
THEODORO, RAQUEL C.; BAGAGLI, EDUARDO; OLIVEIRA, CLAUDIO. Phylogenetic analysis of PRP8 intein in Paracoccidioides brasiliensis species. Fungal Genetics and Biology, v. 45, n. 9, p. 1284-1291, SEP 2008. Citações Web of Science: 33.
BAGAGLI‚ E.; THEODORO‚ R.C.; BOSCO‚ S.M.G.; MCEWEN‚ J.G. Paracoccidioides brasiliensis: phylogenetic and ecological aspects. Mycopathologia, v. 165, n. 4, p. 197-207, 2008.
RICHINI-PEREIRA‚ V.B.; DE MORAES GIMENES BOSCO‚ S.; GRIESE‚ J.; CORDEIRO THEODORO‚ R.; ASSIS DA GRAÇA MACORIS‚ S.; JOSÉ DA SILVA‚ R.; BARROZO‚ L.; MORAIS E SILVA TAVARES‚ P.; MARIA ZANCOPÉ-OLIVEIRA‚ R.; BAGAGLI‚ E. Molecular detection of Paracoccidioides brasiliensis in road-killed wild animals. Medical Mycology, v. 46, n. 1, p. 35-40, 2008.
THEODORO‚ R.C.; DE MORAES GIMENES BOSCO‚ S.; ARAÚJO‚ J.P.; CANDEIAS‚ J.M.G.; DA GRAÇA MACORIS‚ S.A.; TRINCA‚ L.A.; BAGAGLI‚ E. Dimorphism‚ thermal tolerance‚ virulence and heat shock protein 70 transcription in different isolates of Paracoccidioides brasiliensis. Mycopathologia, v. 165, n. 6, p. 355-365, 2008.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.