Busca avançada
Ano de início
Entree

Implantacao e avaliacao de programa de reducao de danos para o uso de ecstasy na cidade de sao paulo.

Processo: 06/04126-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2006 - 31 de outubro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Pesquisador responsável:Maria Teresa de Araujo Silva
Beneficiário:Maria Teresa de Araujo Silva
Instituição-sede: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Psicofarmacologia  Fármacos sintéticos  Prevenção do abuso de drogas 

Resumo

Ainda que não haja dados epidemiológicos brasileiros específicos sobre o consumo de ecstasy, diversos indícios apontam que seu uso no Brasil vem seguindo a tendência de crescimento alarmante constatada em outros países. Uma vez que o ecstasy comporta riscos não só para a saúde de seus consumidores, mas também para aqueles que são expostos aos comportamentos de indivíduos sob efeito da droga, a implantação de um programa preventivo é importante e urgente. Partindo dos resultados e conclusões de tese de doutorado que consistiu em pesquisa diagnóstica on-line com 1.140 usuários de ecstasy, o presente projeto visa implantar o primeiro programa brasileiro de Redução de Danos para o uso dessa droga. Tal estratégia preventiva é apontada por diversos pesquisadores como intervenção ética, adequada e eficaz. O projeto prevê a elaboração, impressão e distribuição de material de Redução de Danos para o uso de ecstasy em locais onde usuários são encontrados com freqüência. Essa intervenção será avaliada através de questionário on-line acessado voluntariamente por participantes, do impacto nos meios de comunicação e de entrevistas com informantes-chave. A partir da avaliação realizada o projeto será sistematizado e poderá ser replicado em contextos que justifiquem uma intervenção preventiva para o uso de ecstasy. Considerando a ascensão do consumo de ecstasy, seu potencial tóxico comprovado, os benefícios de estratégias de Redução de Danos, e a receptividade dos usuários constatada na pesquisa diagnóstica, justifica-se a implantação de programa preventivo direcionado a usuários de ecstasy no Brasil. (AU)