Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo comparativo da administracao de toxina botulinica a em relacao a orquiectomia no tratamento da hiperplasia prostatica benigna do cao.

Resumo

A hiperplasia prostática benigna (HPB) tem início no animal com um a dois anos de idade, sendo que 80% dos cães com 5 anos apresentam evidências histológicas de HPB. Tal enfermidade caracteriza-se por proliferação dos compartimentos glandular e estromal da próstata. A fisiopatologia da doença não está totalmente compreendida, no entanto, dois fatores devem ser considerados: o envelhecimento e a presença dos testículos. A diidrotestosterona (DHT) é o principal andrógeno prostático e acredita-se que este seja o responsável pela HPB, entretanto, estrógenos auxiliam no aumento do tecido prostático. Os sinais clínicos predominantes de hiperplasia incluem os sinais do trato urinário (gotejamento de fluído uretral, hematúria e disúria). A orquiectomia bilateral é o tratamento de escolha, no entanto, animais destinados à reprodução ou naqueles onde a cirurgia está contra-indica, a terapia conservativa se faz necessária. Inúmeras drogas são descritas na literatura, como estrógenos, progestágenos, anti-andrógenos e inibidores da enzima 5α-redutase. Entretanto, tais medicações possuem efeitos indesejáveis. Recentemente, estudos têm demonstrado à utilidade da toxina botulínica A no tratamento da HPB humana, com significativa redução do volume prostático. Até o presente momento, não há informações de seu emprego no cão, o qual é o único animal doméstico que apresenta esta alteração e se presta como o melhor modelo experimental para novos estudos da HPB no homem. Desta forma será estudada a possível influência da neurotoxina sobre o volume e diâmetro prostático, concentração sérica de DHT e testosterona, libido e qualidade do sêmen. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GIULIANO QUEIROZ MOSTACHIO; MARICY APPARÍCIO; TATHIANA FERGUSON MOTHEO; ARACÉLLE ELISANE ALVES; WILTER RICARDO RUSSIANO VICENTE. Administração de toxina botulínica A e a orquiectomia no tratamento da hiperplasia prostática benigna do cão. Ciência Rural, v. 45, n. 9, p. -, Set. 2015.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.