Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da qualidade do ar para ozônio na Região Metropolitana de Campinas

Processo: 06/54356-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2007 - 31 de maio de 2009
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Meteorologia
Pesquisador responsável:Maria de Fátima Andrade
Beneficiário:Maria de Fátima Andrade
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Poluição do ar  Qualidade do ar  Ozônio  Oxidantes fotoquímicos  Campinas (SP)  Mudança climática  Monitoramento do ar 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Contribuições...climáticas_70_104_104.pdf

Resumo

Propõe-se estudar os fatores químicos meteorológicos e de emissões que determinam a qualidade do ar na Região Metropolitana de Campinas (RMC), em especial a formação de ozônio, com a possibilidade de previsão de índices de qualidade do ar para esse poluente. A motivação para a realização deste trabalho vem dos resultados preliminares obtidos pela Cetesb no monitoramento de ozônio, realizado durante os 11 primeiros meses de 2003, em Americana (40 km distante de Campinas), que classificou para o período o ar dessa cidade como sendo o segundo mais poluído por ozônio do interior do Estado de São Paulo, atribuindo essa má qualidade do ar a episódios de transporte de ozônio das regiões fontes Campinas e Paulínia, por mecanismos de circulação local. Para este estudo será utilizado o modelo fotoquímico CIT (modelo de qualidade do ar do Caltech Institute of Techonology). O modelo será previamente calibrado com os dados de ozônio de superfície coletados por estações de qualidade do ar da Cetesb para períodos críticos em termos de concentração para os anos de 2003 e 2004 e posteriormente, com base na previsão da qualidade do ar, será definido o período da realização de uma campanha para o lançamento de ozoniossondas ECC (Eletrochemical Concentration Cell), visando a validar os resultados da modelagem com dados experimentais de perfis verticais de ozônio. Essa campanha será feita em parceria com o Laboratório de Ozônio do Inpe. Um experimento de sondagens de ozônio será realizado na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), no âmbito do projeto de políticas públicas Modelos de qualidade do ar fotoquímicos: implementação para simulação e avaliação das concentrações de ozônio troposférico em regiões urbanas. Pretende-se que os experimentos sejam realizados no mesmo período, permitindo, dessa forma, a descrição do transporte entre essas regiões metropolitanas. Numa etapa posterior objetiva-se realizar as simulações, utilizando- se o modelo meteorológico RAMS (Regional Atmospheric Modeling System), que está com um mecanismo químico simplificado sendo acoplado para a geração dos parâmetros de entrada: meteorológico, de circulação do ar e concentração de ozônio, para fins de comparação com os resultados obtidos quando da utilização dos dados da Cetesb no modelo fotoquímico de qualidade do ar CIT. (AU)