Busca avançada
Ano de início
Entree

Fontes nitrogenadas com diferentes taxas de degradação ruminal na alimentação de cordeiros confinados: i. desempenho, características da carcaça e parâmetros sanguíneos; II. digestibilidade dos nutrientes, balanço de nitrogênio, síntese microbiana ruminal e parâmetros ruminais

Processo: 06/56115-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2006 - 31 de outubro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Ivanete Susin
Beneficiário:Ivanete Susin
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Metabolismo  Ureia 

Resumo

A proteína microbiana sintetizada no rúmen e a proteína dietética não degradada no rúmen são as principais fontes dos aminoácidos que chegam ao intestino delgado, os quais atendem às exigências protéicas dos animais ruminantes. O adequado suprimento de proteína degradável no rúmen para maximizar a produção de proteína microbiana e sua complementação com proteína não degradável são fundamentais para atender às exigências em proteína metabolizável dos animais. Propõe-se a realização de dois experimentos para avaliar os efeitos da substituição parcial ou total de uma fonte de proteína verdadeira (farelo de soja) por uma fonte de nitrogênio não protéico (uréia), em dietas com alta proporção de concentrado para cordeiros confinados. Exp. I: Serão utilizados 28 cordeiros da raça Santa Inês (20 kg de peso vivo e 90 dias de idade) confinados por 56 dias, em baias cobertas, com piso de concreto, cocho e bebedouro. O delineamento experimental será o de blocos ao acaso, sendo os blocos definidos de acordo com o peso e idade dos animais no início do experimento. As rações experimentais serão isonitrogenadas (15% PB), contendo 10% de volumoso (feno de "coastcross") e 90% de concentrado, com teores crescentes de uréia (0; 0,7; 1,4 e 2,1% na matéria seca); constituindo os quatro tratamentos experimentais: 0%U; 0,7%U; 1,4%U e 2,1 %U; respectivamente. Será avaliado o desempenho (consumo de matéria seca, ganho de peso, conversão/eficiência alimentar), parâmetros sangüíneos (glucose e N uréico) e alguns parâmetros da carcaça e da carne (área de olho de lombo, espessura de gordura, rendimento da carcaça quente, rendimento da carcaça resfriada, perdas por resfriamento, maciez, pH e o perfil de ácidos graxos) Exp. II: Quatro cordeiros da raça Santa Inês, canulados no rúmen, serão utilizados em um ensaio para determinação da digestibilidade aparente total das rações experimentais utilizadas no Experimento I. Também serão determinados os parâmetros ruminais (nitrogênio amoniacal, pH e ácidos graxos voláteis), estimativa da síntese microbiana através da determinação da excreção urinaria dos derivados da purina e o balanço de nitrogênio. Os animais serão alojados em gaiolas para ensaios de metabolismo, providas de cocho, bebedouro e sistema para colheita de fezes e urina, separadamente. O delineamento experimental utilizado será quadrado latino 4x4. (AU)