Busca avançada
Ano de início
Entree

Inventario de frases no diagnostico de criancas e adolescentes vitimas de violencia domestica: um estudo de validade e padronizacao no contexto brasileiro

Processo: 06/56308-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2007 - 31 de março de 2009
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia
Pesquisador responsável:Leila Salomão de La Plata Cury Tardivo
Beneficiário:Leila Salomão de La Plata Cury Tardivo
Instituição-sede: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Testes psicológicos  Avaliação psicológica  Violência doméstica 

Resumo

A violência doméstica contra a criança e o adolescente tem sido, nos últimos anos, alvo de interesse e preocupação dos pesquisadores do desenvolvimento infantil, principalmente no que se refere às conseqüências e seqüelas psicológicas. As pesquisas mais recentes na área mostram que a violência doméstica pode ser considerada um verdadeiro problema de Saúde Pública, tendo em vista o elevado número de casos que chegam nas unidades básicas de saúde, ambulatórios, serviços de urgência e emergência etc. Sua abordagem apresenta inúmeras dificuldades em função de ser um problema que se manifesta de maneira sigilosa, e por estar envolvida por dispositivos de velamentos ideológicos, que revelam e ocultam ao mesmo tempo. Assim, o enfrentamento eficaz do problema exige compreensão ampla e profunda da temática e de sistematização nos passos para identificar a ocorrência da vitimização. A presente proposta de pesquisa objetiva a validação e adaptação de um instrumento argentino (Inventário de Frases) que busca levantar indicadores de vitimização física e sexual em crianças e adolescentes, com a população brasileira. Para tanto, o Inventário de Frases será aplicado em uma amostra de 500 crianças, com idade entre 06 e 16 anos, vitimas de violência doméstica (física e sexual), em cidades do Estado de São Paulo. Será utilizado um grupo controle também com 500 crianças da mesma faixa etária, sexo e escolaridade, sem suspeita de vitimização. Os dados serão submetidos a tratamento estatístico, procedendo a análise de precisão e de validade do instrumento. (AU)