Busca avançada
Ano de início
Entree

Qualidade de vida e complexidade social na APA Cantareira, SP: um estudo sobre degradação sócio-ambiental e subjetividade

Processo: 06/60366-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2007 - 30 de novembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Outras Sociologias Específicas
Pesquisador responsável:Sonia Regina da Cal Seixas
Beneficiário:Sonia Regina da Cal Seixas
Instituição-sede: Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais (NEPAM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):09/10523-5 - Transformações socioambientais e subjetividade na APA do Sistema Cantareira: depressão e medicalização no município de Nazaré Paulista, SP, BP.TT
08/10396-0 - Qualidade de vida e complexidade social na APA Cantareira, SP: um estudo sobre degradação sócio-ambiental e subjetividade, BP.TT
08/06805-2 - Qualidade de vida e complexidade social na APA Cantareira, SP: um estudo sobre degradação sócio-ambiental e subjetividade, BP.TT
08/06698-1 - Qualidade de vida e complexidade social na APA Cantareira, SP: um estudo sobre degradação sócio-ambiental e subjetividade, BP.TT
08/06835-9 - Qualidade de vida e complexidade social na APA Cantareira, SP: um estudo sobre degradação sócio-ambiental e subjetividade, BP.TT
Assunto(s):Subjetividade  Qualidade de vida 

Resumo

O objetivo geral desta pesquisa é analisar a qualidade de vida dos moradores de dois bairros rurais do município de Nazaré Paulista e Vargem, respectivamente Moinho e Lopo, pertencentes a APA do Sistema Cantareira, São Paulo, tendo como referencia às transformações sócio-ambientais ocorridas e, as diferentes maneiras que seus moradores tem encontrado para lidar com as mesmas em seu cotidiano. Duas considerações, nesse sentido, são importantes. Primeiro, os dois municípios são considerados casos exemplares de condições sócio-ambientais degradadas, a partir do impacto de um grande empreendimento de captação de recursos hídricos, nos anos de 1970, que alterou as relações de uso e ocupação do solo na região, com implicações diretas sobre a qualidade de vida dos moradores. Segundo, a partir do referencial de outras pesquisas realizadas, supõe-se que os moradores podem estar apresentando intenso sofrimento psíquico, no caso especifico, depressão, como uma forma de lidar com a problemática e as transformações sócio-ambientais presentes no cotidiano. (AU)