Busca avançada
Ano de início
Entree

Estimulação magnética transcraniana (EMT) no tratamento da dor em doentes com síndrome complexa de dor regional tipos I e II (distrofia simpático reflexa e causalgia)

Processo: 06/04365-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2007 - 30 de abril de 2008
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Manoel Jacobsen Teixeira
Beneficiário:Manoel Jacobsen Teixeira
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Dor facial 

Resumo

A Estimulação Magnética Transcraniana (EMT) é a única modalidade de estimulação cerebral não invasiva que pode ser realizada em indivíduos acordados, sem desconforto significativo e com baixo risco. Desde o desenvolvimento de equipamentos adequados para uso clínico, a EMT tem demonstrado ser um importante e seguro instrumento para investigação em neurociências e um potencial instrumento terapêutico com aplicações já reconhecidas em neuropsiquiatria.Nos últimos anos, estudos experimentais em animais e alguns Ensaios Clínicos sugerem um efeito analgésico da Estimulação Magnética Transcraniana de Repetição (EMTr) em Dor Neuropática Crônica. Apesar disso, os parâmetros e os locais adequados para a estimulação ainda não estão bem definidos.Poucos estudos controlados e randomizados foram realizados com sessões de EMT repetidas.O estudo proposto trata-se de um ensaio clínico, randomizado, duplo-cego, controlado com placebo, com o objetivo de verificar o potencial efeito analgésico da EMTr em pacientes portadores da Síndrome Complexa de Dor Regional (SCDR), acometendo o membro superior e rebeldes ao Tratamento Padrão (terapia física e medicamentosa).Serão selecionados vinte portadores de SCDR (segundo os critérios da IASP - International Association for the Study of Pain, 1994) no ambulatório de dor do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP), rebeldes ao tratamento padrão.Estes pacientes, serão randomizados em dois grupos, nos quais serão mantidos e uniformizados o Tratamento Padrão. No grupo experimental serão realizados dez sessões consecutivas de EMTr, com alta freqüência (10Hz) com 100% do limiar motor, sobre a área motora correspondente a mão acometida. No grupo controle, será realizado aplicação de EMT-placebo com bobina inativa, pelo mesmo período.Os instrumentos de avaliação serão: Escala Visual Analógica (VAS) para Dor, Questionário SF-36, Escala DASH, Questionário Hamilton para Ansiedade e Depressão, Questionário PIQ-6.O efeito agudo da EMTr sobre a dor será avaliado a partir da Escala VAS realizada imediatamente antes e após cada sessão de EMTr.A Escala VAS e os demais instrumentos serão utilizados na semana que precede a intervenção; na primeira semana e no terceiro mês após a intervenção, com a finalidade aferir um possível efeito analgésico duradouro e o efeito da intervenção sobre a qualidade de vida, humor e a função do membro acometido. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Livro reúne conhecimento sobre dores orofaciais