Busca avançada
Ano de início
Entree

Photoscreening em prevenção da cegueira na infância

Processo: 06/04797-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2007 - 31 de março de 2008
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Silvana Artioli Schellini
Beneficiário:Silvana Artioli Schellini
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Crianças  Oftalmologia  Acuidade visual 

Resumo

O photoscreening (PS) é um aparelho utilizado para detecção de alterações visuais. Entretanto, o uso do PS não é rotineiro no Brasil. PROJETO 1:Campanha de Prevenção da Cegueira em Pré-Escolares - Screening Visual em criançcas usando o Photoscreening.Objetivo: Comparar dois métodos de avaliação de alterações oculares utilizados em triagem de pacientes, tentando validar o uso do PS em campanhas de prevenção de ambliopia em crianças.Método: Trezentas crianças em idade pré-escolar terão os olhos avaliados, estudando-se a presença de alterações usando exames básicos, o photoscreening, exame refratométrico e fundoscopia. Os dados obtidos serão avaliados e comparados estatisticamente, segundo o teste de concordância de Goodman.PROJETO 2: Campanha de Prevenção da Cegueira na Infância - Screening Visual em Crianças usando o Photoscreening.Objetivo: comparar dois métodos de avaliação de alterações oculares utilizados em triagem de pacientes, tentando validar o uso do PS em campanhas de prevenção de ambliopia em crianças.Método: serão avaliadas 500 crianças entre 7 e 12 anos de idade, estudantes do primeiro grau do Município de Botucatu, São Paulo. Como critério de inclusão, serão consideradas aptas todas as crianças que estiverem cursando as classes de primeira a quarta séries do primeiro grau. O critério de exclusão deverá obedecer os fatores que limitam a aplicação do método em estudo,ou seja, serão excluídas as crianças que tiverem pupila maior que 0,7 mm ou menor que 0,3mm. Também serão excluídas as crianças cujos responsáveis não autorizarem a participação.Os participantes serão fotografados pelo PS, sendo a fotografia tirada sempre pelo mesmo observador, a 0,5 metro de distância, sem a utilização de colírios, sempre no mesmo local, em condições de iluminação constante. Todas as crianças serão avaliadas também pelo teste de acuidade visual usando a Tabela E de Snellen, a 5 metros, em condições de boa iluminação, avaliando-se primeiramente o olho direito e esquerdo sem correção e depois com correção, caso a criança utilize lentes corretivas. As crianças detectadas como portadoras de baixa visão, ou que, supostamente, tenham ao teste do PS algum indício de anormalidade ocular, deverão ser examinadas por oftalmologista. Os dados obtidos serão avaliados e comparados estatisticamente. (AU)