Busca avançada
Ano de início
Entree

Prevalência de Staphylococcus aureus meticilina resistentes em profissionais de enfermagem e pacientes de uma unidade especializada em HIV/AIDS do interior paulista

Processo: 06/06962-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2007 - 31 de julho de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem de Doenças Contagiosas
Pesquisador responsável:Silvia Rita Marin da Silva Canini
Beneficiário:Silvia Rita Marin da Silva Canini
Instituição-sede: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Staphylococcus aureus resistente à Meticilina  Infecção hospitalar  Farmacorresistência bacteriana  Serviços de controle de infecção hospitalar  Infecções oportunistas relacionadas com a AIDS  HIV 

Resumo

Descobertas científicas e tecnológicas têm favorecido o avanço no diagnóstico e no tratamento das doenças infecciosas, porém a utilização de antimicrobianos cada vez mais potentes tem propiciado a resistência de uma grande variedade de microrganismos, constituindo-se num grave problema, principalmente, quando se relaciona às infecções hospitalares. As infecções hospitalares são de grande relevância epidemiológica por elevarem as taxas de morbimortalidade, ampliarem o tempo de permanência dos pacientes no hospital e, consequentemente, por onerarem os custos do tratamento, com danos irreparáveis, sejam do ponto de vista humano, econômico ou social. O enfermeiro tem papel crucial no que tange ao controle e prevenção de infecções hospitalares, necessitando cada vez mais agregar conhecimentos das disciplinas básicas como a microbiologia, imunologia, farmacologia, dentre outras. A resistência bacteriana a antimicrobianos desponta-se como um importante problema de saúde pública mundial, sendo o Staphylococcus aureus o microrganismo que mais frequentemente causa infecção hospitalar. A colonização assintomática é um evento frequente e mais comum que a infecção, acometendo aproximadamente 20-50% da população geral e os portadores nasais de Staphylococcus aureus assumem papel fundamental na patogenia e epidemiologia das infecções hospitalares por representarem fontes potenciais de disseminação. Os pacientes com HIV/aids são considerados uma população suscetível à colonização e à infecções por germes multirresistentes, uma vez que fazem uso constante de antimicrobianos, o que consequentemente, acaba acarretando maior risco aos profissionais de saúde que prestam assistência a essa clientela. Estudo de corte transversal a ser realizado na Unidade Especial de Terapia a Doenças Infecciosas (UETDI) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, com o objetivo de determinar e comparar a prevalência de Staphylococcus aureus meticilina resistentes em profissionais de enfermagem e pacientes. (AU)