Busca avançada
Ano de início
Entree

Alterações da linguagem e estruturas cerebrais em autistas: estudo de delimitação fenotípica e de morfometria voxel a voxel por ressonância magnética

Processo: 06/07125-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2007 - 31 de julho de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Geraldo Busatto Filho
Beneficiário:Geraldo Busatto Filho
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Transtorno autístico  Transtornos da linguagem  Neuroimagem funcional  Ressonância magnética nuclear 

Resumo

O autismo é um distúrbio precoce, global e grave do desenvolvimento que altera o conjunto das capacidades de interação com o meio, dentre elas as capacidades de comunicação. Vários estudos de neuroimagem tentam elucidar quais regiões ou vias cerebrais estariam implicadas na fisiopatologia do autismo. Há achados sugestivos de associação entre alterações nas capacidades de comunicação em pacientes com autismo e anormalidades morfométricas e funcionais em regiões cerebrais envolvidas no processamento auditivo, mas nem sempre tais resultados têm sido replicados e a literatura segue inconclusiva. Os estudos de neuroimagem estrutural e funcional têm utilizado métodos de delineação de regiões de interesse (RI) em áreas circunscritas do cérebro, e tais técnicas são sujeitas a limitações. O uso de métodos automatizados de análise de imagens permitiria a realização de comparações voxel-a-voxel (voxel-based morphometry; VBM) entre diferentes grupos de sujeitos, superando algumas das dificuldades dos métodos do tipo ROI, e permitindo uma investigação mais extensa da possível presença de anormalidades volumétricas encefálicas em pacientes portadores de autismo. Nosso objetivo é investigar as relações entre os padrões de comunicação de autistas, e alterações do volume regional de substância cinzenta em ressonância magnética (RM) e análise por VBM. Este é um estudo de corte transversal, que usará este método para comparar o volume cerebral regional de substância cinzenta, investigada pela RM estrutural, em indivíduos autistas comparados a um grupo-controle normal. Os sujeitos serão avaliados, após consentimento informado, por testes neuropsicológicos e de diagnóstico para delimitação fenotípica da comunicação e atenção compartilhada do autismo. A coleta de imagens em RM será sucedida de análise computadorizada das mesmas e a comparação das entre os grupos. Pretendemos, com este estudo, contribuir para uma maior compreensão dos diferentes subtipos de autismo e as alterações psicopatológicas envolvidas nos mesmos. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.