Busca avançada
Ano de início
Entree

Melanoma acral lentiginoso: análise de proteínas e genes do ciclo celular nas vias de sinalização p16/prb, p53, PTEN e RAS/RAF

Processo: 07/00324-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2007 - 30 de setembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Gilles Landman
Beneficiário:Gilles Landman
Instituição-sede: Hospital A C Camargo. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias cutâneas  Melanoma  Pele  Ciclo celular  Expressão gênica  Genes supressores de tumor  Amplificação de genes  Deleção de genes  Mutação 

Resumo

O melanoma é uma neoplasia maligna originada dos melanocitos cutâneos, tendo o tipo acral-lentiginoso características clinicas e histopatológicas diferentes dos demais tipos de melanomas. É menos prevalente na população caucasiana e mais freqüente em asiáticos, hipanicos e afro-descendentes. Ocorrem nas extremidades, áreas não expostas à radiação ultra-violeta, como palma das mãos, planta dos pés e região subungueal. É uma lesão agressiva, de crescimento insidioso pela dificuldade de visualização. No Brasil, a frequência varia na região sul e sudeste entre 5 a 13%, sendo na maior na região nordeste, totalizando 18% dos melanomas cutâneos. Na África do Sul, sua freqüência é de 32,5%, enquanto em Taiwan atinge 58%. A sobrevida em cinco anos é de aproximadamente 40%. Há poucos estudos moleculares nesta neoplasia, e evidenciam amplificações genômicas 11q13, 22q11-13 e 5p15, bem como inativações na via do gene supressor tumoral p16, além de diferentes expressões de pRb, ciclina D1 e p16. A participação da via do gene p53 apresenta resultados controversos. Alterações dos genes B-RAF, K-RAS, e PTEN foram avaliadas, e propõe-se que modificações genéticas de B-RAF,K-RAS, ciclina D1 e CDKN2A poderiam ser utilizadas para uma nova classificação molecular dos melanomas. Objetivo geral: Estudar a expressão de proteínas e alterações em genes do ciclo celular, genes supressores de tumores e oncogenes nos melanomas acrais-lentiginosos. Objetivos específicos: 1. Criar um banco de dados clínico e anatomopatológico de melanomas acrais-lentiginosos correlacionando os dados histopatológicos às variáveis clínicas. 2. Estudar a expressão de proteínas do ciclo celular (p53, ciclina D1, p16,pRb,CDK4 e p21) por imunoistoquímica em cortes obtidos pela técnica de tissue microarray (em melanomas com espessura > 1 mm e em cortes convencionais naqueles de espessura 1 mm. 3. Avaliar a amplificação ou deleção dos genes p16INK4A, CCDN1 e PTEN, através da técnica de FISH. 4. Avaliar a expressão de mRNA dos gene p16, PTEN, CCDN1 de material parafinado e microdissecado a laser, 5. Correlacionar a expressão imunoistoquímica, mRNA e amplificação ou deleção dos genes p16, CCDN1 e PTEN entre si, 6. Identificar o status de mutação dos genes Kras e BRAF de material parafinado e microdissecado a laser nestes melanomas e em melanócitos epidérmicos adjacentes à lesão. 7. Correlacionar a expressão imunoistoquímica, de FISH e mRNA de ciclina D1, p16, CCDN1e PTEN, a presença de mutações em K-RAS e B-RAF com achados anatomopatológicas e a evolução clínica dos pacientes. Materiais e métodos: trata-se de estudo retrospectivo de casos de melanoma acral-lentiginoso obtidos dos arquivos do Departamento de Anatomia Patológica do Hospital do A C Camargo. Dados demográficos, clínicos e de seguimento serão obtidos dos prontuários destes pacientes. Serão estudadas as amostras que tenham blocos de parafina disponíveis no Departamento, através da confecção de tissue micro-array para realizar o estudo imuno-histoquímico de proteínas do ciclo celular (p53, p21, ciclina D1, pRb, CDK4, p16). Serão quantificados os genes p16, CCDN1 e PTEN, através da metodologia de hibridização in situ por fluorescência (FISH). Será avaliado o status de mutação dos genes K-RAS (códons 12 e 13) e de BRAF (códon 600) pelo método de pirosequenciamento, com captura das células de interesse por técnica de microdissecção a laser. Realizar-se-á analise de mRNA dos genes PTEN ,p16 e CCND1, utilizando a técnica de microdissecção por captura a laser, pelo método de reação de cadeia de polimerase (PCR). (AU)