Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo sobre a população de células inflamatórias em tumor de mama de cadelas

Processo: 07/00971-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2007 - 31 de maio de 2009
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Antonio Carlos Alessi
Beneficiário:Antonio Carlos Alessi
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias em animal  Neoplasias mamárias  Linfócitos T  Antígenos de histocompatibilidade classe II  Fator transformador de crescimento beta 

Resumo

Estudos sobre tumores espontâneos de animais domésticos vêm sendo considerados como promissores para o esclarecimento de importantes questões da oncologia, com provável repercussão no estudo das neoplasias de seres humanos. A aplicabilidade desse modelo de estudo deve-se em princípio, à elevada incidência de neoplasias mamárias em cadelas e também à semelhança do comportamento biológico das referidas neoplasias, quando comparadas as espécies canina e humana. Além disso, a interação tumor-hospedeiro pode ter um papel importante na determinação da resposta imune contra o tumor. Experimentos em tumores no homem sugerem que as interações entre as células do tumor e as do hospedeiro podem ter efeitos estimulatórios e inibitórios na imunidade antitumor, em decorrência da composição celular heterogênea das células infiltradas e das suas diferentes interações com as células do tumor, com significância prognóstica variável. Portanto são objetivos deste estudo, estudar a presença de infiltrado celular inflamatório no tumor mamário; caracterizar fenotipicamente o infiltrado; pesquisar se as células T tem interação com antígenos tumorais e avaliar o estado de ativação dos TILs através da expressão de IL-2R; pesquisar a expressão de MHC; avaliar a ação do TGF-beta; na depressão da resposta imune e relacionar esses achados com alguns indicadores de prognóstico de acordo com a histologia: estágio tumoral, apoptose, angiogênese e também com os marcadores Ki-67, p-53, receptores de estrógeno e progesterona. (AU)