Busca avançada
Ano de início
Entree

Engenharia de tecido osseo: avaliacoes in vitro e in vivo do biomaterial hibrido fosfato de calcio/acido poli-lactico-co-glicolico de celulas osteoblasticas derivadas de celulas-tronco.

Processo: 07/01232-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2007 - 30 de junho de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Cirurgia Buco-maxilo-facial
Pesquisador responsável:Adalberto Luiz Rosa
Beneficiário:Adalberto Luiz Rosa
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Engenharia tecidual  Osteoblastos  Biomateriais  Osso e ossos  Células-tronco 

Resumo

Recentemente, uma nova área de pesquisa vem desenvolvendo novas tecnologias com o objetivo de otimizar o reparo ósseo, a engenharia de tecido ósseo. Tem sido sugerido que um reparo adequado do tecido ósseo pode ser obtido por biomateriais híbridos, produzidos pela combinação de células osteoprogenitoras e materiais substitutos ósseos macroporosos. Os objetivos do presente projeto são investigar: (1) se o potencial osteogênico de células-tronco mesenquimais derivadas de medula óssea de ratos é mantido quando estas são cultivadas sobre arcabouço constituído de fosfato de cálcio e ácido poliláctico-co-glicólico (CaP/PLGA); (2) se o estágio de diferenciação osteoblástica afeta a resposta tecidual in vivo ao biomaterial híbrido CaP/PLGA+células; (3) se as células expandidas e diferenciadas in vitro participam na resposta tecidual in vivo. Será avaliada em 0, 7 e 14 dias, por Real-time PCR, a expressão quantitativa de genes relacionados à osteogênese em células cultivadas sobre arcabouço CaP/PLGA e poliestireno. Amostras do biomaterial híbrido serão utilizadas para a preparação de cortes histológicos que serão processados para coloração com HE ou para localização de proteínas da matriz extracelular não-colágena, fosfatase alcalina e sialoproteína óssea, por imunofluorescência indireta. Será realizado experimento de implantação autógena, em defeitos produzidos em calvária de ratos, do biomaterial híbrido obtido pelo carreamento do arcabouço CaP/PLGA com células-tronco mesenquimais indiferenciadas ou cultivadas por diferentes períodos (0, 7 e 14 dias). As amostras obtidas, ao final de 4 semanas de implantação, serão processadas para a preparação de cortes histológicos. Também será realizado um experimento de implantação com biomaterial híbrido produzido com células em estágio de diferenciação previamente selecionado no experimento anterior, marcadas com composto fluorescente. A marcação fluorescente permitirá rastrear as células transplantadas e avaliar a participação das mesmas no processo de neoformação óssea. As amostras obtidas, ao final de 1, 2 e 4 semanas de implantação, serão processadas como citado acima. Os dados serão submetidos ao teste não-paramétrico de Kruskal-Wallis seguido pelo teste de Fischer. (AU)