Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do impacto de tecnologia de informação e comunicação na produção musical independente

Processo: 07/02366-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2007 - 28 de fevereiro de 2010
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Produção - Gerência de Produção
Pesquisador responsável:Davi Noboru Nakano
Beneficiário:Davi Noboru Nakano
Instituição-sede: Escola Politécnica (EP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Planejamento estratégico  Acesso cultural  Criatividade  Evolução tecnológica  Indústria fonográfica  Gravadoras  Pequenas e médias empresas 

Resumo

Cultura e arte, além de manifestações de talento e criatividade, são hoje também importantes atividades econômicas. A atividade artístico-cultural cria qualificações, produz e explora novos espaços sociais, promove reurbanização, e auxilia o desenvolvimento de outros setores econômicos como transportes, hotéis e restaurantes, serviços de infraestrutura, produção de souvenirs, etc. A relação entre liberdade de expressão e criatividade cultural por um lado, e desenvolvimento econômico e bem-estar social por outro, é hoje conhecida e documentada pela literatura acadêmica. O impacto econômico da atividade cultural é inegável, e segundo a UNESCO, sua contribuição para a geração de emprego e para o PIB dos países cresceu exponencialmente durante os anos 1990. Porém, o estudo da atividade artística e do seu impacto econômico na sociedade é recente: os primeiros trabalhos realizados datam de meados da década de 1960, e somente então o assunto tomou impulso, ganhando a contribuição de mais pesquisas. Assim, apesar da importância econômica e da evolução dos estudos, ainda há pouca pesquisa sobre organizações que atuam no setor cultural. Entre as diversas atividades que compõem o setor cultural, a produção musical pode ser, a grosso modo, dividida entre aquela ligada às grandes gravadoras dos conglomerados multinacionais, as chamadas majors, e aquela relacionada às pequenas e médias empresas locais, as independentes ou indies. Por outro lado, o avanço das tecnologias de informação e comunicação (TIC) baratearam os custos de produção e abriram novas possibilidades de divulgação e comercialização de música. A popularização da Internet e da divulgação de fonogramas em formato MP3, tanto por programas peer-to-peer como pelo podcasting, que permitem aos usuários o acesso à música de forma gratuita, eliminando o controle de acesso ao mercado anteriormente detido pelas gravadoras. Da mesma forma, artistas-empreendedores se valem da Internet e das comunidades virtuais para divulgar seus trabalhos e fazer contato com seu o público de forma interativa. Assim, os avanços tecnológicos exigem mudanças e podem ameaçar o modelo de negócio adotado pelas empresas no setor na atualidade. O presente estudo se propõe a contribuir para preencher as duas lacunas citadas: em primeiro lugar analisando o segmento das gravadoras independentes, discutindo as suas características, os padrões competitivos adotados e em segundo, estudando os possíveis impactos do avanço da TCI nessas empresas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DAVI NAKANO. A produção independente e a desverticalização da cadeia produtiva da música. Gestão & Produção, v. 17, n. 3, p. 627-638, 2010.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.