Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de dentifrícios com baixa concentração de fluoreto na redução da desmineralização e ativação da remineralização do esmalte dental: estudos en vitro e in situ

Processo: 07/50868-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2007 - 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontopediatria
Pesquisador responsável:Celso da Silva Queiroz
Beneficiário:Celso da Silva Queiroz
Instituição-sede: Instituto de Ciências da Saúde (ICS). Universidade Paulista (UNIP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cárie dentária  Desmineralização  Fluoretos  Fluorose dentária  Dentifrícios  Desmineralização do dente  Esmalte dentário  Remineralização dentária  Dentifrício fluorado 

Resumo

A ingestão de fluoreto (F) proveniente de várias fontes principalmente do dentifrício, começaram a ser questionada em relação ao desenvolvimento de fluorose dental, pois crianças menores de seis anos de idade ingerem aproximadamente 50% do dentifrício existente nas cerdas da escova e o excesso de F pode desenvolver fluorose dental. Devido a isso, vem sendo lançado no mercado mundial dentifrícios com baixa concentração de F. No entanto, o uso desses dentifrícios pode comprometer seu potencial anticárie. Portanto, o objetivo desse estudo é avaliar o potencial anticárie de dentifrício com baixa concentração de F (500 ppm F) em relação ao dentifrício convencional (1100 ppm F). Serão confeccionados sessenta blocos de esmalte humano hígido e sessenta com lesão de cárie artificial. Os blocos serão aleatoriamente divididos em quatro grupos de tratamento: Grupo 1: dentifrício placebo (sem F - controle negativo), Grupo 2: Colgate Baby (dentifrício com baixa concentração de F-500 ppm F), Grupo 3: Tandy (dentifrício convencional -1100 ppm F) e Grupo 4: Crest (gold standart - controle positivo). Os blocos serão levados às ciclagens de pH de desmineralização e de remineralização. Ao final das ciclagens, serão obtidos os valores da microdureza (Knoop) de superfície e de profundidade. Em seguida, será realizado um estudo in situ com doze voluntários que utilizarão dispositivos intra-orais palatinos contendo dois blocos de esmalte hígidos e dois com lesão de cárie artificial. O estudo duplo-cego compreenderá quatro etapas de quinze dias cada uma, os tratamentos serão os mesmos do estudo in vitro, os quais serão gotejados sobre os blocos 3/dia. Após a obtenção dos dados através da análise de microdureza, o potencial anticárie será comparando entre os dentifrícios com diferentes concentrações de F. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.