Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliacao da qualidade microbiologica e verificacao da presenca de clostridium botuliunum no mel comercializado no estado de sao paulo.

Resumo

O botulismo infantil foi reconhecido em 1976 como uma doença paralítica rara, causada pela ingestão de esporos viáveis que germinariam e colonizariam o trato intestinal infantil, com produção local e absorção da toxina de Clostridium botulinum. As possíveis origens de esporos botulínicos são a poeira e o mel, que tem sido identificado como fator dietético de risco para o botulismo infantil. Entidades norte-americanas recomendam que crianças com menos de um ano de idade não consumam este alimento. A despeito dos trabalhos atestam a presença de esporos de Clostridium botulinum em méis brasileiros, nossa legislação (BRASIL, 2000) não estipula a sua pesquisa no produto, sendo adotados como critérios microbiológicos somente NMP de coliformes a 35°C e a 45°C, pesquisa de Salmonella sp. e Shigella sp e contagem de bolores e leveduras. Assim, no tocante aos aspectos microbiológicos, torna-se importante a realização de novas pesquisas que procurem avaliar em um número maior de amostras, a qualidade dos méis comercializados formal e informalmente no estado de São Paulo, verificando as condições higiênico-sanitárias do produto, particularmente o seu papel como veículo de esporos de Clostridium botulinum. (AU)