Busca avançada
Ano de início
Entree

Memória do povoamento no médio Rio Paraná

Processo: 07/52802-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2007 - 30 de junho de 2009
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Eduardo Romero de Oliveira
Beneficiário:Eduardo Romero de Oliveira
Instituição-sede: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rosana. Rosana , SP, Brasil
Assunto(s):Colonização  Memória coletiva  Ferrovias  Navegação fluvial  Rio Paraná 

Resumo

A proposta visa estudar a memória produzida por diferentes saberes na ocupação e povoamento da região do Novo Oeste Paulista, num processo que alcançou o Rio Paraná nos séculos XIX e XX. Isto leva-nos a levantar os saberes envolvidos neste processo intensivo de colonização da região ribeirinha: os conhecimentos cartográficos exigidos; o exame dos conhecimentos técnicos da navegação fluvial; a importância atribuída a ferrovia e a engenharia usada, na formação das cidades do interior paulista. Com isto, daremos continuidade à reunião e organização de fontes efetuada em pesquisa anterior, tanto pelo registro de novos depoimentos sobre este tema específico das redes ferroviárias e de navegação, quanto na identificação de documentação visual e textual a propósito delas. Além de ampliar esta pesquisa documental (oral, textual e visual), realizaremos também um inventário do patrimônio industrial relativo à instalação de redes ferroviárias e de navegação. Definimos como marcos cronológicos da nossa pesquisa a expedição exploratória da Comissão Geológica e Geográfica no rio Paraná (1891), e a fundação da cidade de Rosana (1957), como última localidade criada na expansão do ramal ferroviário da Sorocabana. Concentraremos este estudo em cinco municípios que foram "ponta de trilhos" e/ou também portos fluviais: Presidente Epitácio (vila Tibiriçá), Bataguassu (vila Porto XV), Rosana, Panorama e Três Lagoas. (AU)