Busca avançada
Ano de início
Entree

Teste de reconhecimento de fala em usuários de próteses auditivas: atenção à saúde auditiva

Processo: 07/57084-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2007 - 30 de novembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Everardo Andrade da Costa
Beneficiário:Everardo Andrade da Costa
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Logoaudiometria  Saúde auditiva  Reconhecimento da fala 

Resumo

Os testes para investigação clínica do reconhecimento de fala aumentam sua sensibilidade quando sua aplicação se aproxima de situações de escuta do dia-a-dia das pessoas. Os testes de reconhecimento de fala usados na rotina audiológica brasileira são realizados em condições ótimas de audibilidade, que não refletem as situações auditivas do cotidiano. Por conseguinte, seus resultados não atendem às necessidades básicas na prática clínica, particularmente nas perdas auditivas do tipo sensorioneural, de alta prevalência na população. Este projeto tem o propósito de implantar, no país, a aplicação de um teste adaptativo para mensuração da percepção de fala no silêncio e no ruído ("HINT Test"), já de uso corrente em diversos países e já normatizado para o português falado no Brasil, pelo nosso grupo de trabalho. O presente projeto pretende aplicar o teste em pessoas com déficits auditivos, candidatos à utilização de próteses auditivas. O "HINT Test", em sua versão brasileira, será aplicado com um microprocessador de fabricação americana (Bio-Logic), no qual os sujeitos deverão reconhecer sentenças de grande familiaridade, em português do Brasil, com e sem ruído competidor e os escores de acerto serão confrontados com o padrão normal. Mais três projetos serão desenvolvidos, a seguir, com a mesma metodologia, com trabalhadores expostos ao ruído ocupacional, com pessoas idosas e com pacientes submetidos a implante coclear. A inclusão deste teste na rotina audiológica brasileira representará um relevante progresso na real avaliação das incapacidades auditivas, particularmente em portadores de perdas auditivas sensorioneurais. (AU)