Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de dois métodos para limpeza de próteses sobre o desempenho clínico e formação de biofilme de um reembasador rígido

Processo: 10/00916-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2010 - 31 de julho de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Eunice Teresinha Giampaolo
Beneficiário:Eunice Teresinha Giampaolo
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Prótese dentária  Resinas acrílicas  Biofilmes  Reembasadores de prótese 

Resumo

Este estudo avaliará o efeito de dois métodos de desinfecção sobre o desempenho clínico e a quantificação de microorganismos de um reembasador rígido em diferentes intervalos de tempo. Serão selecionados 60 pacientes de ambos os sexos com idade entre 40 e 80 anos, utilizando prótese total superior com necessidade de reembasamento. Essas próteses serão reembasadas com o material Tokuyama Rebase II. Logo após o reembasamento, será avaliado o escoamento e a lisura do material, classificando-os em satisfatório ou insatisfatório. Em seguida, a amostra será dividida em três grupos: grupo 1 (controle) - os pacientes deverão higienizar sua prótese três vezes ao dia por meio de escovação com sabão de coco. grupo 2 - os pacientes realizarão escovação com sabão de coco e imersão diária da prótese em solução de perborato de sódio durante 5 minutos. Antes da colocação da prótese, os pacientes serão orientados a enxaguá-la adequadamente; grupo 3 - nesse grupo, além da escovação com sabão de coco, será realizada diariamente a imersão da prótese por 5 minutos em solução de digluconato de clorexidina 2%. Da mesma forma que no grupo anterior, os pacientes serão orientados a enxaguar sua prótese antes da colocação; O material reembasador será avaliado pelo profissional após 1 semana,15 dias, 1 mês, 3 meses e 6 meses. Serão analisadas as seguintes características: estabilidade de cor - descoloração ou manchamento, irritação dos tecidos orais, separação ou fratura do material, rugosidade e textura superficiais e grau de satisfação do paciente. Além disso, será realizada a quantificação de microrganismos presentes na superfície interna da prótese em todos os períodos experimentais. Após a obtenção dos resultados, esses serão avaliados por meio de teste estatístico adequado. (AU)