Busca avançada
Ano de início
Entree

Integração tecnológica e inovação para identificação e prevenção do desaparecimento de crianças e adolescentes com deficiência

Processo: 09/53556-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas
Vigência: 01 de setembro de 2010 - 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Medicina Legal e Deontologia
Pesquisador responsável:Gilka Jorge Figaro Gattas
Beneficiário:Gilka Jorge Figaro Gattas
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Instituição parceira: Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência (São Paulo - Estado)
Bolsa(s) vinculada(s):10/17099-1 - Sistema de reconhecimento de faces para auxiliar na busca de crianças e adolescentes desaparecidos, BP.TT
10/19324-2 - Restauração digital e normalização espacial de imagens de face de crianças e pessoas desaparecidas, BP.TT
10/17100-0 - Levantamento dos dados relativos ao fenômeno do desaparecimento de crianças e adolescentes com deficiência, BP.TT
Assunto(s):Crianças  Crianças desaparecidas  Crianças com deficiência  Adolescentes  Banco de dados  Multimeios 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Pesquisa...publicas_131_113_113.pdf

Resumo

O desaparecimento de crianças e adolescentes é um problema grave no Brasil, onde os registros alarmantes são de aproximadamente 40.000 casos por ano, sendo aproximadamente 9.000 só no estado de São Paulo, segundo os dados da Polícia Civil. Entre crianças e adolescentes, os desaparecimentos parecem ocorrer principalmente por fugas de casa, decorrentes de violência doméstica (maus tratos físicos, abuso sexual intrafamilial, violência conjugal, violência psicológica e negligência), conflitos familiares do cotidiano, consumo de álcool e drogas ou simplesmente desejo de aventura e de conhecer o mundo. Entretanto, os desaparecimentos também podem ocorrer por subtrações, ou seja, quando estranhos ou familiares retiram estas crianças e adolescentes de suas casas ou mesmo de maternidades, sem autorização dos pais e/ou responsáveis, e essas podem nunca mais retomar para casa. Muitos adultos desaparecidos podem estar hospitalizados e sem condições de informar sua identificação. A dificuldade de informar dados sobre sua identidade ou de fornecer dados sobre sua família pode ocorrer quando o desaparecido encontrado é uma criança ou um adolescente com deficiências. Na verdade, os desaparecidos com deficiências podem ser encaminhados para abrigos onde correm o risco de permanecer indefinidamente uma vez que a família não pode ser localizada em virtude das limitações físicas e/ou intelectuais desses indivíduos. Diante da gravidade deste fenômeno, constata-se o reduzido número de medidas efetivas no Brasil, tanto na elaboração e utilização de tecnologias para auxiliar na busca de pessoas desaparecidas, quanto no suporte psicológico dispensado às famílias que vivem essa tragédia. Assim sendo, torna-se prioritário o desenvolvimento de pesquisas nacionais multidisciplinares que atinjam esses objetivos de forma integrada e que envolvam diferentes departamentos da academia e setores da sociedade. Acredita-se que a integração dos conhecimentos tecnológicos e científicos nacionais nas áreas de Genética, Biologia molecular, Psicologia, Direito, Processamento de imagens e Reconhecimento de padrões, possível de ser alcançada pelo grupo de pesquisadores e especialistas que compõem essa proposta, permite não somente superar os desafios inerentes como também propor soluções científicas e técnicas socialmente relevantes para enfrentar o problema em questão. (AU)