Busca avançada
Ano de início
Entree

Análises fenológicas e diversidade genética entre e dentro de acessos de pinhão manso, usando marcadores de DNA e caracteres morfológicos

Processo: 08/50684-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2008 - 31 de dezembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Antonio Orlando Di Mauro
Beneficiário:Antonio Orlando Di Mauro
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Biodiesel  Biologia molecular  Óleos vegetais  Melhoramento genético vegetal 

Resumo

O pinhão manso (Jatropha curcas L.), pertencente à família das Euforbiáceas, é uma planta geneticamente próxima à mamona, originária do Brasil e América Central, e está sendo apresentada como uma importante alternativa para o fornecimento de óleo vegetal como matéria prima para fabricação do biodiesel. No Brasil muito pouco se conhece sobre o seu cultivo e cadeia produtiva e nada sobre a sua diversidade genética. O estudo da variabilidade genética de uma população é muito importante para o melhorista de plantas, pois auxilia a caracterização dos acessos, além de facilitar a seleção de parentais para realização de cruzamentos, objetivando a criação da necessária variabilidade para a imposição de um processo seletivo. O melhoramento genético é considerado um processo contínuo de desenvolvimento de novos genótipos, sendo os programas de melhoramento embasados em objetivos estabelecidos para a solução de problemas reais ou potenciais da espécie de interesse. Técnicas de biotecnologia, como os marcadores moleculares, constituem importantes ferramentas tecnológicas nos processos de seleção e aumento da variabilidade genética, principalmente quando associados às análises morfológicas. Assim sendo, o presente projeto tem por objetivo caracterizar morfologicamente e geneticamente acessos de pinhão manso, através de marcadores moleculares RAPD e Microssatélite (SSR), visando classificá-los em grupos, de acordo com o grau de divergência genética. Para isso, o experimento será conduzido ao longo dos anos de 2008 a 2011 e executadas atividades em casa de vegetação e campo (dois locais) para a obtenção, condução e avaliação dos acessos de pinhão manso. O primeiro local será a área experimental do Departamento de Produção Vegetal da UNESP/FCAV, e o segundo a área experimental da FEB. (AU)