Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos de um programa de atividade física sobre a capacidade funcional e qualidade de vida em pacientes que realizam hemodiálise

Processo: 08/05473-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2008 - 31 de outubro de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Convênio/Acordo: CNPq - PPSUS
Pesquisador responsável:Regina Coeli Vasques de Miranda Burneiko
Beneficiário:Regina Coeli Vasques de Miranda Burneiko
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Assunto(s):Atividade física  Nefropatias  Doença crônica  Diálise renal  Capacidade funcional  Qualidade de vida 

Resumo

Introdução: A doença renal crônica (DRC) é considerada um sério problema mundial de saúde pública. No mundo cerca de 1,2 milhões de pessoas encontram-se sob tratamento dialítico. No Brasil são aproximadamente 54,5 mil pessoas, destas, 48.875 em hemodiálise e 5.649 em diálise peritoneal. O paciente com IRC apresenta baixa tolerância ao exercício e como conseqüência apresenta limitações na capacidade funcional induzindo impactos negativos na sua qualidade de vida. O questionário Kidney Disease and Quality-of-Life Short Form (KDQOL-SF), específico para indivíduos em tratamento dialítico, pode ser aplicado para quantificar o impacto da doença nestes pacientes. Objetivos: Avaliar os efeitos de um programa de atividade física de 8 semanas sobre a capacidade funcional e qualidade de vida de pacientes em hemodiálise. Método: Serão selecionados 40 pacientes de ambos os sexos com idade entre 40 e 60 anos, em programa de hemodiálise no Instituto do Rim da Santa Casa de Misericórdia de Presidente Prudente-SP. Os pacientes serão divididos aleatoriamente em dois grupos de 20 pacientes cada. O grupo 1 será o grupo experimental e o grupo 2 será o grupo controle. Ambos os grupos (40 pacientes) serão inicialmente submetidos à avaliação clinica padrão (sinais vitais e saturação de oxigênio) e serão coletados os resultados dos exames laboratoriais contidos nos prontuários. Em continuidade, ambos os grupos iniciarão avaliação da função pulmonar para análise da capacidade vital forçada (CVF), volumes expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1) e o índice Tiffeneau. Avaliação da força muscular inspiratória (PImax) e expiratórias (PEmax), avaliação da capacidade funcional por meio do Teste de Caminhada de Seis Minutos (TC6min) e avaliação da qualidade de vida por meio do KDQOL-SF. Após as avaliações, o grupo 1 (experimental) iniciará um programa de atividade física, com duração de 8 semanas, realizado 3 vezes por semana durante 40 minutos no período das sessões de hemodiálise. O grupo 2 (controle) permanecerá em observação, seguindo o tratamento dialítico e suas atividades de vida diária normalmente. Ao final do programa de exercícios físicos, ambos os grupos serão reavaliados. Para análise dos dados pareados será utilizado o teste t de Studente. Para associação entre a função pulmonar e a força muscular respiratória será utilizado o coeficiente de correlação de Spearman. Nas situações onde a distribuição normal não for aceita, será aplicado o teste de Mann-Whitney. Diferenças nesses testes serão consideradas estatisticamente significantes quando o valor de "p" for menor que 0,05. Palavras-chave: insuficiência renal crônica, capacidade funcional, qualidade de vida. (AU)