Busca avançada
Ano de início
Entree

Pesquisa de Leishmania chagasi e Trypanosoma cruzi em animais silvestres procedentes do Centro de Conservação da Fauna Silvestre de Ilha Solteira - SP

Resumo

Os animais silvestres, tanto os de vida livre como os em cativeiro, podem ser reservatórios e portadores de zoonoses, tais como as leishmanioses visceral e cutânea, e a doença de Chagas. As leishmanioses são um grupo de doenças causadas por um protozoário pertencente à ordem Kinetoplastida, família Trypanosomatidae e gênero Leishmania. São zoonoses, que em geral apresentam clinicamente um caráter multifacetado e afetam o homem, além de várias espécies de animais silvestres e domésticos, nas mais diversas regiões do globo terrestre. No Brasil, os reservatórios da doença ainda não estão bem definidos. Vários animais silvestres, como raposas das espécies Lycalopex vetulus e Cerdocyon thous e marsupiais da espécie Didelphis albiventris têm sido encontrados naturalmente infectados pela Leishmania chagasi (L.chagasi), agente causador da leishmaniose visceral. A doença de Chagas, causada pelo Trypanosoma cruzi (T. cruzi), acomete o homem, bem como várias espécies de animais silvestres e domésticas, ocorrendo do sul dos Estados Unidos ao sul do continente. Assim como nas leishmanioses, as degradações ambientais e escassez de políticas sociais, associadas às migrações de populações rurais carentes para as periferias urbanas de forma desordenada e sem estrutura sanitária, associado à presença de reservatórios, propiciaram a transformação da doença de rural para domiciliar e peridomiciliar. Tendo em vista a importância da leishmaniose visceral e da doença de Chagas como zoonoses importantes em saúde pública, propusemo-nos estudar a ocorrência de L. chagasi e T. cruzi em animais silvestres provenientes do Centro de Conservação da Fauna Silvestre, município de Ilha Solteira (SP), assim como contribuir para o diagnóstico seguro dessas importantes zoonoses, associando-se as provas dignósticas da hemocultura em meio Liver Infusion Tryptose (LIT), sorologia pela técnica de ELISA por competição (C-ELISA) e a prova de Reação em Cadeia pela Polimerase (PCR) para L. chagasi e T.cruzi, a partir de amostras de sangue de 33 animais silvestres, de diferentes espécies, mantidos em cativeiro e de animais de vida livre, considerados reservatórios importantes de leishmanias e tripanossomatídeos, possibilitando a identificação dos animais realmente infectados e o verdadeiro papel destes no ciclo epidemiológico da leishmaniose e doença de Chagas. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)