Busca avançada
Ano de início
Entree

Variação na disponibilidade de nitrogênio e nos ajustes morfo-fisiológicos em fisionomias de restinga da região Sudeste do Brasil

Processo: 10/50954-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2010 - 30 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Luiz Antonio Martinelli
Beneficiário:Luiz Antonio Martinelli
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Restinga  Ecofisiologia  Isótopos estáveis  Nitrogênio 

Resumo

As restingas localizam-se marginalmente à floresta Tropical Atlântica, cobrindo as planícies arenosas do litoral brasileiro. São ecossistemas com elevada diversidade fisionômica e estrutural e se desenvolvem sob uma série de condições ambientais limitantes, incluindo a limitação nutricional. O nitrogênio é fator limitante para a produtividade e crescimento das plantas, sendo que variações nas condições ambientais tais como natureza do substrato e disponibilidade hídrica - podem influenciar a ciclagem deste nutriente, alterando o desempenho destes indivíduos e, conseqüentemente, de todo o ecossistema. Tais alterações refletem em variações nos atributos foliares, as quais têm sido consideradas boas descritoras de processos em vários níveis de organização biológica, auxiliando a caracterizar e comparar o desempenho ecofisiológico de diferentes indivíduos/espécies vegetais ao longo de gradientes de disponibilidade de recursos e condições, podendo gerar conhecimento para modelar o funcionamento a Longo prazo de ecossistemas sob condições ambientais em alteração. Assim, visamos neste projeto comparar as estratégias de uso do nitrogênio em três formações vegetais de restinga, as quais apresentam fisionomia e estrutura distintas e ocorrem sob diferentes regimes de precipitação. Para tanto, avaliaremos o funcionamento destes ecossistemas em relação à ciclagem de nitrogênio e alguns atributos morfo-fisiológicos relacionados à estratégia de uso deste nutriente e à fotossíntese das 20 principais espécies arbóreas das três áreas. (AU)